Marcos de Paula/AE - 28/10/2009
Marcos de Paula/AE - 28/10/2009

Botafogo vence Náutico em casa e respira no Brasileirão

Equipe carioca ganha com um gol de pênalti de Juninho; Estevam Soares diz que vitória valeu 600 pontos

AE, Agencia Estado

28 de outubro de 2009 | 22h18

Com um pênalti duvidoso, o Botafogo respirou aliviado nesta quarta-feira, ao derrotar o Náutico por 1 a 0, no Engenhão. Assim, a equipe ganhou fôlego na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Graças à vitória em casa, o time carioca deixou o clube pernambucano para trás na tabela e soma agora 35 pontos, três a mais que o rival, que terminará a 32.ª rodada na zona de descenso.  

 

Veja também:

tabela SIMULADOR - Veja quem pode ser o campeão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabelaClassificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Essa vitória valeu 600 pontos", disse o técnico Estevam Soares após o apito final. O gol do Botafogo surgiu num pênalti muito contestado. O lateral-esquerdo Diego cavou a falta ao entrar na área adversária e o árbitro Leonardo Gaciba assinalou a infração, convertida pelo zagueiro Juninho, aos 27 minutos do segundo tempo.

O Botafogo precisava vencer o jogo desta quarta. O Náutico também. Os dois lutam desesperadamente contra a queda para a Série B. Diante de um estádio quase vazio, uma faixa estendida nas arquibancadas chamava a atenção: "Lúcio Flávio e Juninho, fora amarelões". O ambiente era de tensão e de cobrança, e isso se refletiu em campo.

Nervoso e sem confiança, o time botafoguense teve uma atuação ruim. Errou muitos passes e, por várias vezes, despertou a ira da torcida, que hostilizou o técnico Estevam Soares e alguns jogadores. A partida foi fraca tecnicamente, mas não faltou correria. Porém, o bom futebol passou longe do Engenhão.

Os dois times desperdiçaram algumas oportunidades de gol. O goleiro Jefferson, do Botafogo, fez pelo menos duas defesas difíceis. O Náutico, no entanto, não teve forças para reagir e empatar o confronto.

Pela 33.ª rodada do Brasileirão, o Botafogo volta a campo no próximo domingo, quando vai a Porto Alegre enfrentar o Internacional, que briga pelas primeiras posições. Já o Náutico terá o clássico contra o Sport, no mesmo dia, nos Aflitos. No duelo regional, as duas equipes chegam em situação complicada para fugir do rebaixamento.

BOTAFOGO 1 X 0 NÁUTICO

Botafogo - Jefferson; Alessandro, Juninho, Wellington e Diego; Leandro Guerreiro, Léo Silva (Renato) e Jônatas; Reinaldo, Jobson (Rodrigo Dantas) e André Lima (Victor Simões). Técnico: Estevam Soares

Náutico - Gledson; Fernando, Vagner e Márcio; Patrick, Johnny (Anderson Santana), Aílton, Irênio (Mariano Torres) e Michel; Carlinhos Bala e Tuta (Elton). Técnico: Geninho

Gol - Juninho (de pênalti), aos 27 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos - Jefferson, Jônatas, Renato, Alessandro e Reinaldo (Botafogo); Márcio, Vagner, Johnny e Mariano Torres (Náutico)

Árbitro - Leonardo Gaciba (Fifa-RS)

Renda - R$ 90.760,50

Público - 6.127 pagantes

Local - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.