Botafogo vence o Vasco por 3 a 2 e segue 100% no Carioca

Time de General Severiano garante a 1.ª posição no Grupo B com um pênalti inexistente no fim do clássico

Bruno Lousada, O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2008 | 20h12

No primeiro clássico carioca do ano, o Botafogo venceu o Vasco, por 3 a 2, neste sábado à noite, no Maracanã. Com o resultado, a equipe alvinegra praticamente garantiu classificação para as semifinais da Taça Guanabara - primeiro turno do Campeonato Carioca. Já o time cruzmaltino permanece em segundo lugar do Grupo B, com nove pontos. Veja também: Flamengo estréia no Engenhão com goleada sobre o AméricaCom 100% de aproveitamento na Taça Guanabara, cinco vitórias em cinco rodadas, o Botafogo justificou o rótulo de favorito no clássico eletrizante. Num time sem estrela, quem faz a diferança é o conjunto. A equipe é tão bem armada que os dois primeiros gols, marcados na etapa inicial, nasceram em jogadas ensaiadas de bola parada. No primeiro gol, após cobrança de falta muito bem treinada, Triguinho rolou a bola para Zé Carlos soltar uma ‘bomba’ e estufar as redes: 1 a 0, aos 17. No segundo, Lúcio Flávio cobrou escanteio e Túlio, vindo de trás, marcou de cabeça. É verdade também que a zaga rival apenas assistiu ao lance. "Executamos bem as jogadas ensaiadas", declarou o meia Lúcio Flávio, remanescente do grupo alvinegro que fracassou na Copa Sul-Americana e no Campeonato Brasileiro do ano passado.  BOTAFOGO3Castillo; Alessandro, Ferrero, Renato Silva e Triguinho (Abedi); Túlio, Diguinho    , Lúcio Flávio e Zé Carlos    ; Jorge Henrique (Fábio) e Wellington Paulista (Édson)Técnico: Cuca VASCO2Tiago; Wagner Diniz, Jorge Luiz, Luisão         Calisto; Jonílson     (Bruno Meneghel), Beto, Leandro Bomfim (Amaral) e Morais; Alex Teixeira e Alan Kardec (Abuda    )Técnico: RomárioGols: Zé Carlos, aos 17, e Túlio, aos 34 minutos do primeiro tempo; Jorge Luiz, a 1, Bruno Meneghel, aos 32, e Lúcio Flávio (pênalti), aos 41 minutos do segundo tempoÁrbitro: Péricles Bassols CortezRenda e Público: Não disponíveisEstádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)Apontado pelo próprio treinador Romário como o pior entre os grandes, o Vasco cresceu na dificuldade. Desceu para o vestiário, no intervalo, com o placar desfavorável de 2 a 0 e reagiu assim que a bola voltou a rolar. Jorge Luiz, de cabeça, diminuiu: 2 a 1, com 1 minuto. O Botafogo sofreu o gol e perdeu a cabeça. Zé Carlos deu um carrinho por trás em Wagner Diniz e recebeu cartão vermelho. A equipe alvinegra, no entanto, não pode reclamar de falta de sorte. Diguinho quase fez gol contra de cabeça. A bola explodiu na trave e saiu. A partir daí, o árbitro Péricles Bassols Cortez roubou a cena. Não anulou gol irregular de Bruno Meneghel, que dominou a bola com os braços, e marcou pênalti inexistente a favor do Botafogo, convertido por Lúcio Flávio. OUTROS RESULTADOSPelo Grupo A, o mesmo do Flamengo e Fluminense, o Macaé derrotou em casa o Duque de Caxias, por 2 a 0. Pela chave B, o Friburguense empatou com o Mesquita, por 1 a 1, no Estádio Eduardo Guinle. Já o Madureira superou o Americano, por 6 a 3, em Conselheiro Galvão. Muriqui fez dois gols e é o artilheiro do Carioca, com 7. O Madureira chegou aos 9 pontos, na terceira colocação, atrás de Vasco e Botafogo.

Tudo o que sabemos sobre:
BotafogoVascoEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.