Bragantino e São José empatam na A2

Bragantino e São José, dois dos piores times do Campeonato Paulista da Série A2, empataram em 1 a 1, nesta quarta-feira à tarde, no estádio Nicolau Alayon, em São Paulo. O curioso é que o jogo só foi realizado porque, de última hora, o superintendente do São Paulo, o médico Marco Aurélio Cunha, cumpriu a exigência do regulamento que obriga a presença de um médico no jogo por conta do clube mandante. "Simplesmente fiz uma gentileza a um clube co-irmão", justificou Marco Aurélio, que já trabalhou no Bragantino nos tempos de ouro do clube no início da década de 90. A direção do clube confirmou que teve problema com o médico contratado, uma vez que ele pensou que o jogo começasse às 16 horas, uma hora depois do marcado. O Bragantino não está mandando jogos em seu estádio, que está interditado. Em campo, houve muito equilíbrio. O Braga saiu na frente, com um pênalti cobrado por Betão aos 13 minutos. O São José empatou no segundo tempo, aos 12 minutos com João Paulo. O resultado ainda deixou o time do Vale da Paraíba na lanterna do Grupo 2, com cinco pontos. O time de Bragança Paulista é penúltimo colocado, com nove pontos, mas tem um jogo a menos. Os dois times voltam a se enfrentar, no final de semana, pela 11ª rodada. O Bragantino enfrenta a Internacional, em Indaiatuba, porque ainda não teve o estádio Marcelo Stéfani liberado pelo Ministério Público. O São José vai participar do clássico regional fora de casa contra o Taubaté.

Agencia Estado,

17 de março de 2004 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.