Divulgação/SPFC
Divulgação/SPFC

Bragantino vence São Paulo no Morumbi e passa a ter melhor campanha do Paulistão

De virada, equipe de Bragança Paulista ganha por 3 a 2 e chega aos 20 pontos

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2020 | 22h09

Garantidos antecipadamente no mata-mata do Campeonato Paulista, São Paulo e Red Bull Bragantino fizeram o melhor jogo da retomada da competição nesta quinta-feira, na conclusão da penúltima rodada da primeira fase, pela postura ofensiva, mas também por darem muitos espaços na defesa. E quem se deu melhor foi o time de Bragança, que triunfou por 3 a 2 no vazio Morumbi.

Para vencer, pesou a grande precisão do Bragantino, que marcou três gols nas quatro vezes em que acertou a meta do São Paulo, que até criou bastante, só que sem a mesma eficiência. E até pelo longo tempo parado, os times também erraram bastante. Pablo brilhou ao marcar duas vezes, mas foi um golaço de Arthur que definiu a partida.

O resultado garante ao Bragantino, embalado por quatro vitórias seguidas, a liderança antecipada do Grupo D do Paulistão e ainda o deixa com a melhor campanha do Paulistão - tem os mesmos 20 pontos do Santo André, mas saldo de gols melhor - 7 a 6. Já a o São Paulo continua em primeiro no Grupo C, com 18 pontos, mas ainda pode ser ultrapassado pelo Mirassol, com 17.

Os times voltarão a jogar no domingo. O São Paulo vai encarar o Guarani, na Vila Belmiro, enquanto o Bragantino terá pela frente o Botafogo no José Liberatti, em Osasco.

O JOGO

Ao menos nos momentos iniciais da partida, o São Paulo pareceu não sentir a inatividade de mais de quatro meses. Começou a partida dominando o Bragantino e jogando no campo de ataque, como gosta Fernando Diniz. E abriu o placar logo aos seis minutos, quando Reinaldo recebeu na ponta esquerda e cruzou para Pablo marcar de cabeça, mandando a bola no canto esquerdo.

O time quase fez o segundo gol logo depois, com Vitor Bueno, mas foi surpreendido por uma estratégia do Bragantino que diversas vezes atrapalhou o São Paulo no primeiro tempo e equilibrou o duelo: marcação forte na saída de bola. Aos 12, Artur desarmou Reinaldo na saída de bola, tocou para Matheus Jesus, que chutou rasteiro para igualar o placar. E o gol da virada saiu aos 34 minutos, quando Morato recebeu passe, cortou Arboleda e chutou cruzado para fazer 2 a 1.

A virada premiou a estratégia do Bragantino de jogar bastante adiantado, mas a movimentada etapa inicial teria mais um gol. Reinaldo quase conseguiu aos 37, não fosse a difícil defesa de Julio Cesar. Já aos 38, Igor Gomes serviu Daniel Alves, que de calcanhar passou para Pablo, que dominou e chutou rasteiro cruzado, no canto direito: 2 a 2. E Matheus Jesus e Pato ainda desperdiçaram boas chances antes do intervalo de ótimos 45 minutos no Morumbi.

O início do segundo tempo foi de domínio do São Paulo, que poderia ter marcado em cabeceio de Alexandre Pato e em cobrança de falta de Reinaldo. Mas além de ter falhado nas finalizações, novamente a defesa deu muitos espaços e o Bragantino aproveitou, marcando um golaço com Artur. Aos 20 minutos, o ex-palmeirense dominou na entrada da área, limpou dois marcadores e chutou chapado, no ângulo direito da meta de Volpi.

A desvantagem levou Diniz a fazer várias mudanças no São Paulo - as cinco que agora são permitidas - e até a improvisar Reinaldo na zaga. Pato finalizou com perigo, aos 28, colocado, mas para fora. Foi uma das raras chances do time após levar o terceiro gol, mesmo tendo vários jogadores no campo de ataque. Assim, o São Paulo não conseguiu evitar a derrota para o campeão da Série B e, agora, melhor time do Paulistão.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 x 3 BRAGANTINO

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Juanfran (Paulinho Boia) Bruno Alves, Arboleda (Everton) e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes (Helinho); Vitor Bueno (Liziero), Pablo e Alexandre Pato (Hernanes). Técnico: Fernando Diniz.

BRAGANTINO - Júlio César; Weverton, Fabrício Bruno, Ligger e Luan Candido (Edmar); Ricardo Ryller (Barreto), Matheus Jesus (Weverson) e Vitinho; Artur (Uillian Correa), Ytalo e Morato (Claudinho). Técnico: Felipe Conceição.

GOLS - Pablo, aos 6 e aos 38, Matheus Jesus, aos 12, Morato, aos 34 minutos do primeiro tempo; Artur, aos 20 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRA - Edina Alves Batista.

CARTÕES AMARELOS - Reinaldo, Daniel Alves e Tchê Tchê (São Paulo); Vitinho e Matheus Jesus (Bragantino).

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.