Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Braian Rodríguez se diz orgulhoso pela chance de defender o Grêmio

Uruguaio promete ajudar os mais jovens a se firmarem na equipe

Estadão Conteúdo

03 Março 2015 | 13h17

Novo reforço do Grêmio, o uruguaio Braian Rodríguez foi apresentado na manhã desta terça-feira pelo clube no auditório da Arena e se declarou orgulhoso pela oportunidade de defender o clube gaúcho. O jogador, de 28 anos, também prometeu ajudar os mais jovens a se firmarem na equipe dirigida por Luiz Felipe Scolari, que passa por um momento de reformulação por causa dos problemas financeiros gremistas.

"Me sinto feliz, é um orgulho vestir essa camiseta, de um clube tão grande como o Grêmio. A experiência a gente vai passando aos poucos sabendo que a responsabilidade é nossa e não dos jovens", declarou o jogador uruguaio.

Braian Rodríguez chega ao Grêmio com a responsabilidade de melhorar a produção do setor ofensivo, que sofreu recentemente com as perdas de dois centroavantes, o argentino Hernán Barcos e o Marcelo Moreno, ambos negociados com o futebol chinês.

O executivo de futebol do Grêmio, Rui Costa, pediu, porém, para que as comparações com outros atacantes não sejam realizadas, tentando tirar a pressão sobre o jogador uruguaio.

"É um jogador com as características que não tínhamos no elenco desde as saídas do Barcos e do Moreno. Não estamos fazendo comparação, cada um é cada um e ele vai construir sua história no Clube. O atleta sempre manifestou desejo em jogar no Grêmio quando falou com a gente. O importante é que ele está aqui pela vontade dele e pela nossa convicção", afirmou o dirigente.

Braian Rodríguez é um antigo sonho de consumo do Grêmio, tendo despertado o interesse do clube em 2013, após marcar um dos gols da vitória do chileno Huachipato por 2 a 1, na Arena, pela Copa Libertadores. Depois disso, ele se transferiu para a Espanha, onde atuou por Bétis e Numancia, antes de acertar a sua chegada ao Grêmio.

Mais conteúdo sobre:
futebolGrêmioBrain Rodríguez

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.