Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Rubens Chiri/ saopaulofc.net
Rubens Chiri/ saopaulofc.net

Branda pede união para São Paulo sair da crise: 'Temos de estar mais unidos do que nunca'

Equipe ainda não venceu no Brasileirão após nove rodadas e está na zona de rebaixamento

Redação, Estadão Conteúdo

05 de julho de 2021 | 07h13

Sem Hernán Crespo, diagnosticado com covid-19 no dia 26 de junho, o São Paulo foi comandado mais uma vez pelo auxiliar Juan Branda e perdeu por 2 a 1, de virada, para o Red Bull Bragantino, no último domingo. Já preparando o terreno para devolver o comando às mãos do treinador, que deve voltar nesta segunda, ele pregou a necessidade de união para tirar o time da crise.

Com a derrota do final de semana, a equipe tricolor segue sem vencer após nove rodadas disputadas pelo Brasileirão. O auxiliar sabe que momento é difícil, mas acredita que há saída para a atual situação. "Cremos que o trabalho, a perseverança, a união, com tudo isso a gente sai. Neste momento, temos que estar mais unidos do que nunca e com muita perseverança", comentou.

Na zona de rebaixamento, com apenas cinco pontos somados, o São Paulo tem pela frente um encontro com o Internacional, no Beira-Rio, na próxima quarta-feira. O zagueiro Miranda, substituído em razão de um incômodo na panturrilha esquerda, ainda no intervalo, será reavaliado para saber se tem condições de jogo.

No meio da semana, o defensor, recém-recuperado de lesão, já havia sido substituído após reclamar de um desconforto muscular no clássico contra o Corinthians. Questionado se o retorno do jogador foi precipitado, Branda disse que não houve antecipação. "Miranda sempre quer jogar, é capitão da equipe. Sempre com alta médica, sendo aprovado, é escalado para estar no time titular", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
CrespoSão Paulo Futebol Clubefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.