Martin Mejia/AP
Martin Mejia/AP

Brasil atropela o Uruguai por 6 a 0 e conquista o Sul-Americano Sub-20 no Peru

Seleção fatura o torneio pela terceira vez seguida e se garante na Olimpíada de Londres

RAFAEL VERGUEIRO - estadão.com.br,

13 Fevereiro 2011 | 02h01

SÃO PAULO - Foi mais fácil do que o esperado. O Brasil teve pouquíssimo trabalho para golear o Uruguai por 6 a 0 na madrugada deste domingo (pelo horário de Brasília) em Arequipa, no Peru, e conquistar o Campeonato Sul-Americano Sub-20 pela terceira vez consecutiva - já havia sido campeão em 2007, no Paraguai, e 2009, na Venezuela. É o 11.º título da seleção brasileira (maior vencedora de todos os tempos) na história da competição, que é realizada desde 1954.

Veja também:

link Neymar sonha com o ouro olímpico

Além disso, os brasileiros garantiram vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, para buscar no ano que vem a inédita medalha de ouro. O Uruguai, vice-campeão, também está classificado. Já a Argentina, atual bicampeã olímpica (2004 e 2008), não poderá defender o título, e terá que se contentar com a vaga no Mundial Sub-20, que será disputado entre julho e agosto na Colômbia. Além do país-sede e dos argentinos, Equador, Brasil e Uruguai são os outros sul-americanos que disputarão o torneio.

A campanha da seleção brasileira no Peru só não foi perfeita porque a equipe tropeçou duas vezes - empate com a Bolívia (1 a 1) e derrota para a Argentina (2 a 1), mas nas outras oito partidas foram apenas vitórias, e em muitas delas com show dos garotos que prometem fazer muito sucesso no futuro.

Na 'decisão' deste domingo, brilhou a estrela do são-paulino Lucas, que fez três bonitos gols. Danilo deixou a sua marca e os outros dois foram do santista Neymar, o craque da competição. Ele participou de nove jogos no campeonato e fez nove gols, para se tornar o maior artilheiro da história do Sul-Americano Sub-20.

Aliás, Neymar merece ser destacado como um personagem a parte nesta competição. Com apenas 19 anos, o craque já costuma brilhar entre os mais velhos, e entre os garotos só deu show. Além de destruir a defesa uruguaia, ele brilhou contra Paraguai, Colômbia e Chile, e sai do torneio com a certeza de uma carreira ainda mais promissora do que já era esperado.

Facilidade na final. Todos esperavam que o Brasil encontrasse dificuldades diante do Uruguai, afinal, o adversário chegou na última rodada da competição na liderança (a fase final do torneio foi disputada em pontos corridos), com a vaga garantida em Londres e precisando somente de um empate para levantar o troféu.

Mas, apesar de estar com a vaga olímpica praticamente garantida (só uma derrota por cinco gols de diferença tiraria os brasileiros e colocaria os argentinos nos Jogos), a seleção brasileira não se acomodou e desde o início partiu para cima. Assustados, os uruguaios abusaram do direito de fazer falta violentas, e não se deram bem.

O primeiro gol do Brasil ainda custou a sair, e só veio aos 40 minutos do primeiro tempo, com Lucas, que recebeu passe de Alex Sandro e chutou na saída do goleiro. E o garoto se empolgou, pois apenas um minuto depois fez o segundo dele na partida em bonita jogada individual - arrancou pela esquerda e chutou cruzado para balançar as redes.

Logo em seguida, Adrián Luna mostrou irritação e deu carrinho violento em Oscar. Recebeu o cartão vermelho direto e deixou a situação uruguaia ainda mais delicada.

No segundo tempo, o Brasil levou somente um susto, logo no começo, quando Saimon cometeu pênalti em Cepelini e foi expulso. Mas Betino chutou mal, para fora, e deixou novamente tranquilo os brasileiros.

Depois, o que se viu foi um grande show do Brasil. Aos 5 minutos, Danilo fez o terceiro em chute cruzado. Aos 12, Neymar recebeu passe de Lucas e fez o quarto. Aos 19, o craque aproveitou o rebote do goleiro e fez mais um. Já aos 36, Lucas invadiu a área e selou a goleada com o sexto gol.

Homenagem. A vitória brasileira em Arequipa foi marcada por muitas homenagens a Bruno Uvini. O zagueiro sofreu grave lesão no confronto diante da Argentina e deixou o Peru antes do restante da delegação. Mas o grupo não esqueceu do colega. A cada gol ele era lembrado, e, na hora de comemorar o título, teve o nome várias vezes citado pelos companheiros.

BRASIL - 6 - Gabriel; Danilo, Saimon, Juan e Alex Sandro; Fernando, Casemiro (Galhardo), Lucas (Gabriel Silva) e Oscar; Neymar (Diego Maurício) e Willian

Técnico: Ney Franco

URUGUAI - 0 - Ichazo; Platero, Olivera, Cabrera e Polenta; Vecino, Cayetano (Pereyra) e Prieto (Ramon Díaz); Luna, Mayada e Rodriguez (Cepelini)

Técnico: Juan Verzeri

Gols - Lucas, aos 40 e aos 41 do primeiro tempo; Danilo, aos 5 do segundo tempo; Neymar, aos 12 e aos 16 do segundo tempo; Lucas, aos 36 do segundo tempo; Cartões amarelos - Platero, Cayetano, Polenta (Uruguai), Casemiro e Saymon (Brasil); Cartões vermelhos - Luna (Uruguai) e Saimon (Brasil); Árbitro - Antônio Arias (PAR); Local - Estádio Universidad Nacional San Agustin, em Arequipa (Peru)

Veja também:

blog ANTERO GRECO - Brasil exagera na dose, fatura o Sub-20 e pode brilhar em Londres

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.