Brasil busca o tri no Mundial Sub-17

O futebol envolvente e empolgante do Brasil volta a campo para alegria do torcedor. Mas não se trata do time de Scolari - que ainda não conseguiu empolgar ninguém -, mas sim da garotada da seleção sub-17. Nesta quinta-feira, na cidade de Puerto España, em Trinidad e Tobago, começa a 6ª edição do Mundial da categoria. A seleção local enfrenta a Cróacia, na única partida do dia, pelo Grupo A. Estréiam sexta-feira os outros dois integrantes do grupo, Brasil e Austrália, reeditando a final de 1999, disputada na Nova Zelândia, quando os brasileiros conquistaram o bi-campeonato - já haviam ganho em 1997, no Egito.O Brasil, comandado por Sérgio Farias, de 34 anos, tem como destaques o meia Diego e o atacante Bruno Moraes, ambos do Santos, além do lateral-esquerdo Leandro Bonfim, 17, ex-Vitória, negociado com o PSV Eindhoven, da Holanda.A missão da seleção é complicada. Como um dos maiores vencedores do torneio, ao lado de Gana, ambos com dois títulos, o Brasil é favorito à primeira posição do grupo. Confirmando sua passagem para a próxima fase, deve ter uma pedreira já nas quartas-de-final: França ou Nigéria, que devem se classificar no Grupo B (que ainda tem Estados Unidos e Japão).No Grupo C, com sede em Couva e Marabella, estão outras duas favoritas ao título. A poderosa e sempre perigosa Argentina de José Pekerman e a Espanha, atual campeã européia. Burkina Faso e Omã compõem a chave. O Grupo D, em Arima, é o mais fraco, formado por Mali, Paraguai, Irã e Costa Rica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.