Divulgação
Divulgação

Brasil chega a três finais na Copa do Mundo de Ginástica Artística

Na Austrália, Isabel Barbosa se classificou para a decisão da trave e do solo e Luís Porto, para o salto

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 17h46

Depois de um primeiro dia com resultados ruins, os ginastas brasileiros mostraram reação nesta sexta-feira e garantiram o País em três finais na etapa de Melbourne, na Austrália, da Copa do Mundo de Ginástica Artística. Neste segundo dia das qualificatórias, Isabel Barbosa se classificou para a decisão da trave e do solo e Luís Porto, para o salto. O resultado foi considerado muito bom para a avaliação dos competidores e as expectativas para as finais são positivas.

COB anuncia candidatos ao Prêmio Brasil Olímpico que elegerá os melhores de 2017

Isabel Barbosa teve um excelente resultado ao se classificar para as finais dos dois aparelhos que disputou. No solo foi a segunda colocada, com 13,000 pontos. Na trave, a brasileira foi a sexta, com 11,033 pontos. Luís Porto fez um bom trabalho no salto ao terminar a classificatória em terceiro lugar, com 14,199 pontos.

Gustavo Polato também competiu nesta sexta-feira na barra fixa e terminou como primeiro reserva. O ginasta somou 11,900 pontos e foi o nono colocado.

Esta é a primeira competição do ano para os brasileiros e serve também como avaliação para que a equipe técnica possa observar o desempenho destes jovens atletas em um campeonato de alto nível. "Acreditamos ter bons resultados nas finais, assim como tivemos hoje (sexta-feira). Estávamos confiantes para estas classificatórias", apontou o treinador e chefe de delegação, Leonardo Finco.

Tanto Isabel Barbosa quanto Luís Porto fazem as finais de seus respectivos aparelhos neste domingo, a partir de 1 hora (de Brasília).

Tudo o que sabemos sobre:
COB [Comitê Olímpico Brasileiro]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.