Brasil concentra preparação na recuperação de jogadores

A seleção realiza apenas um trabalho leve neste sábado, para recuperar os jogadores

ANDRÉ CARDOSO, Agência Estado

26 de junho de 2010 | 07h39

Na primeira fase da Copa, o Brasil teve um intervalo de cinco dias entre cada um dos três jogos. Agora, porém, o time volta a campo já na segunda-feira, depois de ter empatado com Portugal na sexta. Assim, a prioridade de Dunga para enfrentar o Chile nas oitavas de final será a recuperação dos jogadores.

 

Veja também:

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

Depois do jogo contra Portugal, que foi disputado em Durban, a delegação brasileira voltou na própria sexta-feira para Johannesburgo, onde está concentrada desde que desembarcou na África do Sul. Neste sábado, a única atividade do dia é um treino no período da tarde, que será apenas um trabalho leve.

No domingo, está previsto outro trabalho leve para a seleção, pois é o dia do treino de reconhecimento do Estádio Ellis Park, em Johannesburgo, onde será disputado o jogo contra o Chile na segunda-feira. Assim, Dunga não vai exigir muito dos jogadores antes da disputa das oitavas de final.

A ordem da comissão técnica do Brasil é controlar o desgaste do grupo, para que todos entrem em campo com força máxima para enfrentar o Chile, na segunda-feira, a partir das 15h30 (horário de Brasília). Por isso, o fim de semana será de muito descanso e trabalho de recuperação física.

A maior preocupação é com os jogadores machucados. Titular absoluto, o volante Felipe Melo sofreu uma torção no tornozelo esquerdo no jogo contra Portugal e pode ser desfalque diante do Chile. Mesma situação vive o reserva Júlio Baptista, que teve uma torção no joelho esquerdo.

Mas Dunga também tem notícias boas. Elano, que levou uma pancada no último domingo contra a Costa do Marfim, e Robinho, que foi poupado diante de Portugal por causa de dores musculares, têm retorno garantido ao time que enfrentará o Chile, assim como Kaká, que cumpriu suspensão.

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.