Brasil, confiante, aguarda Austrália

A boa campanha do Brasil no Campeonato Mundial Sub-20 está sendo suficiente para que o treinador da seleção, Carlos César, considere sua equipe favorita ao título da competição. "Minha confiança de que ganharemos nosso título mundial aumenta cada vez mais", diz o técnico, enquanto prepara o time para o jogo de quarta-feira contra a Austrália, pelas oitavas-de-final do torneio. "Ganhamos três partidas, fizemos dez gols e apenas sofremos um", ressalta Carlos César. "Acho que temos a melhor combinação entre ataque e defesa do campeonato", ressalta. O time tem a melhor defesa da competição e só fez menos gols que a Argentina, que marcou 14, mas tomou 2. O atacante Robert, junto com o argentino Javier Saviola, é o artilheiro da disputa com 5 gols. O técnico não descarta a possibilidade de um novo confronto na final contra a Argentina, como aconteceu em 1983 e 1995. "Mas não podemos contar com isso, porque o futebol é uma caixinha de surpresas", diz o treinador lembrando o velho jargão. Sobre a Austrália, o técnico ressalta que é um time com muito espírito de luta. "Teremos de ficar com os olhos abertos para não sermos surpreendidos." Corrida - O Mundial Sub-20 tem uma competição paralela às disputas nos gramados por gols e vitórias: é a guerra da contratação de novos craques. Entre os brasileiros, o jogador que mais tem chamado atenção é Robert, do Botafogo. Mas ele não é o único craque visado por empresários ligados a clubes italianos como o Parma, a Internazionale e o Juventus, que já foram vistos em Mar del Plata. Hoje, o empresário Gustavo Mascardi, o mais poderoso da Argentina, entrou em contato com três jogadores da equipe da Costa Rica: o volante Granados, o zagueiro Montero e o o atacante Winston Parks. A situação deixa o técnico Carlos Watson, preocupado. "Eu falei com cada um dos jogadores para que não fiquem loucos com a quantidade de empresários que estão rondando o hotel." Juan Simón, jogou ao lado de Maradona e atualmente representa 200 atletas argentinos, diz que o Mundial é ocasião ideal para avaliar talentos. "Não só vemos como jogam, mas como lidam com a pressão, encaram uma partida contra garotos que jogam de maneira muito diferente e também a adaptação às disputas contra adversários mais fortes e mais velozes." Sumiço - Três jogadores da seleção da Etiópia, o goleiro Solomon e os jogadores Ismael e Hussen estão desaparecidos. Os atletas participaram de uma festa, domingo, em Salta e não se apresentaram aos integrantes da comissão técnica hoje em Buenos Aires, conforme havia sido combinado. Os dirigentes acionaram a polícia local para localizar os jogadores.

Agencia Estado,

25 de junho de 2001 | 18h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.