Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Brasil decide Mundial Sub-17 amanhã

Em busca de seu terceiro título mundial da categoria, a seleção brasileira Sub-17 enfrenta a Espanha neste sábado, às 10 horas (horário de Brasília), em Helsinque, na decisão do campeonato disputado na Finlândia. Os espanhóis, que nunca conquistaram foram campeões, decidiram o título apenas uma vez (1991).Brasil e Espanha têm campanhas idênticas. Na primeira fase, venceram duas partidas e empataram uma. A partir das quartas-de-final, ganharam todos os jogos, sem precisar da decisão por pênaltis.Os espanhóis sofreram um pouco mais para garantir a vaga na decisão. Enquanto os brasileiros venceram os colombianos na semifinal com facilidade (2 a 0), a Espanha derrotou a Argentina, de virada, apenas no "gol de ouro" (3 a 2). "Estamos muito orgulhosos de chegar à final", disse o técnico Marcos Paquetá, que reconheceu a força do futebol sul-americano. "Brasil, Argentina e Colômbia provaram o progresso por que passa o futebol do continente."Ao longo do torneio, o Brasil simplesmente fortaleceu o seu favoritismo. Depois de golear Portugal (5 a 0) e desbancar os Estados Unidos (3 a 0 ), os brasileiros começaram a ser mais valorizados. Os meio-campistas Jonathan, Junior, Arouca e Ederson são eficientes e versáteis. O goleiro Bruno é o maior responsável pelo fato de o time não sofrer gols a 445 minutos.Na frente, Abuda e Roncatto já marcaram quatro gols cada, e querem superar os artilheiros do Mundial - o português Manuel Curto e o espanhol Cesc, que têm cinco.Todo esse favoritismo é o que mais preocupa o técnico espanhol Juan Santisteban, cheio de problemas para montar a equipe. "Provavelmente, o Brasil é a a melhor equipe do mundo em todas as categorias", disse.Os dois laterais titulares - Ruz, suspenso, e Llorente, machucado - estão fora de combate. Com isso, o treinador espanhol terá que improvisar para tentar conter a força da seleção brasileira. O meia Oskitz pode ser deslocado para a lateral-esquerda, enquanto o zagueiro Arzo fará a função na direita. "Depois de jogar a prorrogação, os jogadores estarão exaustos, mas vamos nos esforçar contra o Brasil", avisou Santisteban.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2003 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.