Jarbas Oliveira/EFE
Jarbas Oliveira/EFE

Brasil defende história positiva no Castelão diante da Venezuela

Seleção tem oito vitórias em 10 jogos disputados no estádio

Almir Leite, enviado especial a Fortaleza, O Estado de S. Paulo

12 de outubro de 2015 | 09h38

O atacante Hulk disse neste domingo não ter a menor dúvida de que a torcida cearense vai apoiar a seleção brasileira na partida desta terça-feira contra a Venezuela, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa da Rússia. E, se depender do retrospecto, o torcedor realmente tem motivos de sobra para empurrar a seleção neste momento complicado. Quase sempre que jogou em Fortaleza, o time se saiu bem.

Até agora, foram 10 partidas, todas no Castelão, com oito vitórias, um empate e apenas uma derrota. Mas esse jogo perdido não fez a menor diferença. Foi um tropeço diante do Paraguai, em  agosto de 2002, na partida que marcou a despedida de Luiz Felipe Scolari em sua primeira passagem pela seleção.

O técnico acabara que conquistar, junto com a equipe brasileira, o pentacampeonato mundial na Copa do Mundo disputada na Coreia do Sul e no Japão. Assim, a derrota por 1 a 0 não fez a menor diferença. Até mesmo o único empate, um 0 a 0 com o México pela Copa do Mundo de 2014 acabou sendo um resultado positivo. Na sequência, o resultado ajudou a equipe a ficar em primeiro lugar em seu grupo na primeira fase.

Assim, o maior prejuízo que a seleção brasileira sofreu em Fortaleza foi na mesma Copa, aliás na última vez que o time jogou em Fortaleza. Nos 2 a 1 sobre a Colômbia, pelas quartas de final, o Brasil perdeu seu único craque, Neymar, que teve lesão em uma vértebra após ser atingido pelo lateral-direito Zuñiga. Na partida seguinte, sem Neymar, o Brasil levaria os humilhantes 7 a 1 da Alemanha, em partida disputada no Mineirão.

A seleção jogou pela primeira vez no Castelão, o antigo estádio, em 27 de agosto de 1980.E venceu o Uruguai por 1 a 0. O gol foi marcado pelo lateral-direito Getúlio, então jogador do São Paulo.

A segunda partida, nove anos depois, foi bem mais fácil: 4 a 1 sobre o Peru. Em 1992, novamente a seleção esteve no Castelão. E fez 3 a 0 nos Estados Unidos. Em 1995, uma goleada: 5 a 0 na Eslováquia. Três anos depois, outra goleada: 5 a 1 sobre a Rússia.

Antes da Copa de 2002, o Brasil esteve em Fortaleza (por isso voltou para a aquela partida com o Paraguai). Foi em março, com vitória por 1 a 0 sobre a Iugoslávia.

Depois daquele ano do penta, o Brasil ficaria quase 11 anos sem jogar no Castelão. Só voltou e 2013, para um jogo oficial: 2 a 0 sobre o México na Copa das Confederações, num jogo que ficou marcado pela torcida, que cantou à capela o Hino Nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.