Brasil derrota o Paraguai por 3 a 0

A seleção sub-23 superou mais uma etapa na luta por uma das duas vagas reservadas para a América do Sul nos Jogos de Atenas. O Brasil enfrentou o Paraguai, nesta madrugada de sábado, pela segunda rodada do torneio Pré-Olímpico, e voltou a vencer ? desta vez por 3 a 0. (Na estréia, havia feito 4 a 0 na Venezuela.) Com esse resultado, manteve a ponta do Grupo A, com 6 pontos. Na preliminar, o Chile bateu os venezuelanos por 3 a 0 e também tem duas vitórias, mas com saldo de gols menor do que o dos brasileiros (6 contra 7). A superioridade da equipe do técnico Ricardo Gomes despontou logo aos 8 minutos. Diego fez jogada individual e sofreu pênalti, em entrada de Devaca. O meia do Santos cobrou e marcou, sem chance para o goleiro Barreto. O Brasil procurou tocar a bola e deixou o tempo passar. Os paraguaios, aos poucos, acertaram a marcação no meio-campo, apelaram para faltas duras e diminuíram os espaços, embora não tenham dado trabalho a Gomes. O goleiro do Cruzeiro só fez uma defesa, em chute de Torres de fora da área. A seleção ainda sofreu uma baixa, com a contusão de Elano, depois de sofrer falta. O esboço de reação paraguaio emperrou aos 6 minutos da segunda fase. De novo, em pênalti. Robinho arrancou pelo lado esquerdo e entortou Martinez, que no desespero o agarrou na área. Robinho pôs a bola debaixo do braço e fez questão de cobrar: 2 a 0. O nocaute veio em seguida. Aos 7 minutos, o lateral Maicon recebeu a bola na intermediária do Brasil e avançou, com velocidade e controle total. O lateral reserva do Cruzeiro deixou quatro paraguaios para trás e teve o requinte de driblar o goleiro, na área, antes de mandar para o gol, no lance mais bonito do Pré-Olímpico. Maicon Douglas Sisenando, 22 anos, mostrou por que tem lugar cativo na sub-23. Até agora, é o único a ter participado dos 14 jogos sob o comando de Ricardo Gomes e fez 2 gols. No campeão brasileiro, porém, é apenas opção no esquema de Vanderlei Luxemburgo, que prefere Maurinho. Daí em diante, o Brasil se resguardou e nem se preocupou eu tornar a goleada mais incisiva. Reservou forças para a partida deste domingo contra o Uruguai, pela terceira rodada.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2004 | 00h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.