Brasil deverá ter mudanças contra o Japão

A derrota para o México não mudou os planos do técnico Carlos Alberto Parreira. Contra o Japão, na quarta-feira, em Colônia, o treinador da Seleção Brasileira promete mudar três a quatro jogadores. Marcos, Renato e Luisão devem sair jogando na última partida da primeira fase da Copa das Confederações. Maicon também tem chance de entrar na vaga de Cicinho na lateral-direita. "Não vamos mudar nada do que havíamos previsto. O time vai ter três a quatro mexidas. Vou conversar com os jogadores e depois programar as alterações", revelou Parreira, hoje, quando deixava a sala de entrevistas do Estádio de Hanover. O projeto do treinador previa pelo menos três mudanças no time titular e mais três durante a partida. Parreira não contava com a derrota para os mexicanos, quando programou as alterações, mas garantiu que também vai dar chance a mais três jogadores no segundo tempo. "Além da três ou quatro alterações previstas para começar a partida, vou mudar também no segundo tempo", antecipou o treinador. Os cotados: Léo, na vaga de Gilberto; Julio Baptista como opção para Adriano ou Robinho; ou ainda Juninho Pernambucano na fila de espera de Ronaldinho ou Kaká. "Não quero descaracterizar a equipe com muitas substituições. No primeiro jogo (Grécia) usei 14 jogadores. Vamos observar outros contra o Japão. Já conversei com o grupo e disse que não vamos observar os 23 nesta Copa. Nem todos devem jogar", explicou Parreira. Apesar de o jogo contra o Japão ser decisivo para a classificação do Brasil, Parreira já havia adiantado que Marcos teria uma chance contra a equipe de Zico. O goleiro do Palmeiras, exceção ao amistoso contra a Guatemala - despedida de Romário -, não joga uma partida oficial pela Seleção há mais de um ano. Gilberto Silva também sonha com a vaga, mas deve esperar outra oportunidade. Renato entrou bem no segundo tempo contra o mexicanos e tem tudo para continuar no time. Gilberto Silva estava encostado por problemas de contusão e só agora retoma o seu caminho. Titular em 2002 na campanha do penta, o volante do Arsenal perdeu o cargo de titular para Edmílson e depois Emerson. "Estou ansioso para voltar a jogar. Nem me lembro a última vez que atuei como titular. Quero aproveitar a chance como se fosse a última." O volante pode ficar tranqüilo. "O Gilberto Silva não está em teste nesta Copa das Confederações. Um jogador pentacampeão do mundo não precisa ser testado", avisou Parreira. Luisão também tem a confiança do chefe. O titular da zaga e capitão Roque Júnior, desgastado com o final da temporada - sentiu câimbras na sexta-feira -, pode ser poupado contra o Japão. Roque Júnior levou cartão amarelo, hoje. É mais um motivo para deixar o time. "Confio plenamente no Luisão", admitiu Parreira. "Ele teve testes duros. Contra a França, em Paris, no amistoso dos 100 anos da Fifa, pegou um ataque com Henry, Trezeguet e mais o Zidane, e foi muito bem." A Seleção embarca nesta segunda, 13h, para Leverkusen. Volta ao Castelo Lebarch e aos treinos no BayArena. Os jogadores passam por uma revisão geral antes da viagem. E Parreira começa a pensar no time para a partida decisiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.