Brasil divide espaço com finais européias

A partida entre Brasil e França está sendo esperada com grande expectativa, por reunir um grande número de estrelas - como os brasileiros Ronaldo, Kaká e Ronaldinho Gaúcho e os franceses Zidane e Thierry Henry, entre outros - e também por ser considerada uma espécie de revanche da final da Copa de 1998, quando os donos da casa adiaram por quatro anos a conquista do pentacampeonato pelos brasileiros com a vitória por 3 a 0 no Stade de France. No entanto, o jogo não monopoliza a atenção dos torcedores franceses. Ao contrário, tem de dividir espaço com as duas finais de copas européias que terão a presença de equipe do país: a Copa da Uefa, na qual o Olympique de Marselha faz quarta-feira, na Suécia, a decisão contra o Valencia espanhol, e a Copa dos Campeões, que terá o Monaco decidindo a taça contra o Porto português dia 26, na Alemanha. A imprensa francesa, hoje, deu destaque aos três eventos de maneira praticamente igual. Mas nenhum jornalista do país foi hoje ao local onde a seleção brasileira começou a se reunir em busca de entrevistas. Os torcedores também não se fizeram presentes e alguns demonstraram até alguma surpresa ao ver jogadores brasileiros sendo entrevistados do lado externo do hotel, localizado num ponto bem movimentado de Paris, a Place du General Koënig. Ao contrário dos franceses, os espanhóis do jornal Sport, de Barcelona, passaram a tarde no saguão do Hotel Concorde La Fayaette. No entanto, o principal interesse deles era a possibilidade de Belletti fechar contrato com o Barcelona. A promoção de Brasil e França é discreta. Mas foi possível ver por Paris alguns ônibus com painéis chamando para a partida. Os painéis tinham a foto do meia Ludovic Giuly, estrela do Mônaco, e de Ronaldinho Gaúcho. Atualmente no Barcelona, Ronaldinho ainda é bastante respeitado pelos franceses, por seu jogo artístico. Ele não teve uma passagem totalmente bem-sucedida pelo Paris-Saint Germain, mas os franceses não discutem que Ronaldinho sabe jogar futebol como poucos. A reclamação é que não era sempre que ele estava disposto a jogar. O técnico da seleção francesa, Jacques Santini, não esconde que considera o amistoso contra os pentacampeões mundiais uma preparação para a fase final da Eurocopa, em junho, em Portugal. A França é a atual campeã européia. Santini quer observar como estão os atletas para definir quem leva à competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.