Brasil e Camarões se reencontram

A seleção brasileira inicia na quinta-feira, às 5 horas de Brasília, uma nova e nada promissora etapa. Estréia na Copa das Confederações contra seu último grande algoz, Camarões, protagonista de um dos maiores vexames da história do nosso futebol. Foram os africanos que eliminaram o Brasil da Olimpíada de Sydney, em 23 de setembro de 2000, numa partida dramática. Eles venceram na prorrogação, no momento em que atuavam com dois jogadores a menos. O resultado acelerou a demissão do técnico Wanderley Luxemburgo.Do time que esteve na Austrália, somente dois atletas fazem parte do grupo convocado por Emerson Leão para o torneio no Japão: o goleiro reserva Fábio Costa e o zagueiro Lúcio. Todos os outros assistiram àquela partida pela TV, como o meia Vampeta. Ele tem três objetivos na competição. Primeiro, ser campeão. Antes, quer derrotar Camarões e França, para quem o Brasil perdeu a Copa do Mundo de 1998. "Esse é o meu sentimento; vencê-los simplesmente seria ótimo. Vencê-los e chegar ao título, excelente." A partida será disputada no Estádio Municipal de Kashima, cuja capacidade de público é de 43 mil pessoas.Todos os ingressos estão vendidos para o jogo que vai marcar também a estréia do atacante Washington, da Ponte Preta, em competição oficial pela seleção. "Tenho feito tantos gols nas últimas semanas, quero manter o ritmo", disse. Outro na mesma situação é o lateral Léo, do Santos, destaque nos treinos em Kashima.Leão resolveu escalar Lúcio no lugar de Cláudio Caçapa. No meio, preferiu optar por Ramón, excelente cobrador de faltas e rápido no toque de bola com os atacantes. Robert ficará entre os suplentes. O técnico surpreendeu ao manter ao lado de Washington o até então ineficiente Anderson, talvez o jogador mais antipático do grupo, descortês e irônico o tempo todo, até mesmo com os japoneses.A teimosia também é uma característica do treinador. Por isso, vai insistir com Leomar na cabeça-de-área - uma escolha sem nenhum sentido aparente, misteriosa mesmo, tal a fragilidade do jogador do Sport.Nesta terça-feira, Leão assistiu a teipes de partidas recentes do adversário e debruçou-se sobre o relatório de um de seus auxiliares com informações detalhadas a respeito de Camarões. A seleção africana vai atuar com vários atletas que enfrentaram o Brasil no Estádio The Gabba, em Brisbane, a terceira cidade mais importante da Austrália. O irreverente atacante Mboma, autor do primeiro gol naquela partida, está confirmado. O meia Njitap Jeremy, do Real Madrid, também. Naquela oportunidade, o treinador Jean Paul Akono chorou na entrevista coletiva e dissera que desfrutava do dia mais importante de sua vida.Agora, quem comanda a seleção de Camarões é o francês Pierre Lechantre. "Com certeza ele não vai deixar o estádio consagrado", garante o capitão do time, o ex-corintiano Vampeta, atualmente no Paris Saint-Germain. "Se tiver de chorar, não será de alegria", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.