Brasil e Colômbia contará com forte esquema de segurança

Polícia de Bogotá quer evitar qualquer foco de briga antes, durante e depois da partida pelas Eliminatórias

EFE

10 de outubro de 2007 | 20h14

Um total de 1.200 policiais, helicópteros, ambulâncias, veículos de bombeiros, detectores de metais e até cachorros fazem parte do esquema de segurança preparado em Bogotá para antes, durante e depois do jogo entre Brasil e Colômbia pela primeira rodada das Eliminatórias para a Copa de 2010.   A Polícia de Bogotá espera que desta forma evite qualquer foco de violência e de acidentes durante a partida que acontecerá no estádio El Campín, em Bogotá.   As medidas adotadas pelas forças de segurança determinam, entre outras coisas, que os torcedores que comparecerem ao estádio não poderão usar camisas de equipes locais para evitar brigas de torcidas. Além disso, não poderão entrar no estádio garrafas, armas ou câmeras de vídeo, informou hoje a prefeita local Sandra Jaramillo.   Para entrar no local da partida os torcedores terão que apresentar seus ingressos e levar o documento de identidade. Os menores terão que ser acompanhados de um adulto. Também serão instaladas câmaras de vigilância para controlar a entrada da torcida.   Enquanto isto, milhares de torcedores continuam amontoados em volta do estádio tentando conseguir um dos 41.724 ingressos que foram colocados à venda para a partida, dosquais 5.254 estavam sendo distribuídas hoje entre os torcedores, alguns deles brasileiros que moram na Colômbia e que desejam ver Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Robinho.

Tudo o que sabemos sobre:
Eliminatórias 2010BrasilColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.