Brasil é eliminado no futebol de areia

Dono de quase todos os títulos da história do futebol de areia, o Brasil ficou fora da final justamente da primeira Copa do Mundo organizada pela Fifa, no Rio. Mesmo com o reforço de Romário, a seleção brasileira perdeu para Portugal na semifinal deste sábado. A derrota veio nos pênaltis, por 2 a 1, depois do 5 a 5 no tempo normal e do 1 a 1 na prorrogação. Com isso, Portugal fará neste domingo a final da Copa do Mundo de Futebol de Areia contra a França, que ganhou do Japão por 4 a 1 na outra semifinal. Já o Brasil lutará pelo terceiro lugar com os japoneses, na praia de Copacabana.Apesar dessa ser a primeira Copa do Mundo organizada pela Fifa, o torneio mundial de futebol de areia já foi realizado outras 10 vezes. E o Brasil ganhou 9 delas. Só perdeu uma, justamente para Portugal, em 2001, na Costa do Sauípe, Bahia.O jogo - Portugal começou arrasador. Com menos de quatro minutos, fez dois gols. No primeiro, o goleiro Robertinho estava adiantado e Marinho arriscou um chute de longe. A bola acertou a trave e, no rebote, Madjer marcou. E no segundo, o mesmo Marinho cobrou falta com precisão e fez.Logo após o susto, o técnico Índio optou por colocar Buru no lugar de Romário e deu certo. Buru, de cabeça, diminuiu a diferença. Em seguida, ele mesmo, em cobrança de falta, empatou: 2 a 2. De bicicleta, Madjer colocou Portugal novamente em vantagem. Mas Buru também fez outro, num chute no ângulo direito.No segundo tempo, Benjamim colocou o Brasil na frente pela primeira vez. E Neném, de bicicleta, fez 5 a 3. Mas Madjer descontou.No terceiro tempo, Madjer fez seu quarto gol na partida e manteve a artilharia do torneio, com 11 no total.Com os 5 a 5 no placar, o jogo foi para a prorrogação e Alan, em cobrança de falta, colocou Portugal na frente. Mas Benjamim, quando faltavam 14 segundos para o final, empatou o duelo mais uma vez, em cobrança de falta.Nos pênaltis alternados, Juninho fez 1 a 0. Alan empatou. Jorginho mandou a bola na trave e Madjer não desperdiçou: Portugal na final.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.