Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Brasil e Neymar são os campeões nas redes durante a Copa do Mundo

Seleção lidera os comentários mundiais no Twitter e Facebook, mas, para consultoria, falta interação

Matheus Lara e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 05h00

A seleção brasileira e o craque Neymar estão em alta nas redes sociais durante a Copa do Mundo. A equipe do técnico Tite lidera os comentários mundiais no Twitter e no Facebook, enquanto o atacante lidera no primeiro e está na segunda posição no segundo, atrás apenas do argentino Lionel Messi. Essa enorme visibilidade reforça a importância da equipe e do jogador no torneio que está sendo disputado na Rússia.

+ Brasileiros já se espalham pelas ruas históricas de Kazan

+ Chá de cadeira dos brasileiros irrita jornalistas estrangeiros

+ Delegados da Fifa apostam em maior vigilância com Neymar na Copa

Cada vez mais os torcedores usam as redes sociais, inclusive durante as partidas, para comentar, criticar e discutir temas enquanto tudo acontece. O Twitter costuma ser uma ferramenta mais ágil e que traz detalhes de tudo que ocorre na Copa em tempo real. Até por tudo que vem fazendo na competição, Neymar é o atleta que mais tem interações nesta rede social.

“O futebol é um tema de grande interesse para os usuários do Twitter, que já acessam a plataforma naturalmente, em busca de assuntos de seu interesse. Podemos dizer que somos uma grande de arquibancada virtual, em que as pessoas interagem entre si, consumindo, compartilhando e criando conteúdo em torno do evento. A Copa evidencia ainda mais essa paixão”, diz Pitter Rodriguez, diretor de parcerias de esportes do Twitter para a América Latina.

Ele lembra que o Mundial representa um momento especial também para as marcas, que aproveitam o período para ter mais evidência. “Elas podem se valer das milhares de conversas sobre a Copa para interagir e criar conexões genuínas com seus consumidores em tempo real pelo Twitter”, explica.

A centralidade de Neymar nas redes sociais se deve ao fato de que, além de bom jogador e altamente técnico, com frequência ele gera discussões de amor e ódio por causa de seu estilo ousado. Contra o México, por exemplo, sofreu um pisão no tornozelo fora do lance e se contorceu de dor. Isso tudo provocou elogios e críticas de diversas personalidades do mundo da bola. Não demorou para ter gente chamando o atleta de cai-cai e outros saindo em defesa. Outro ponto é que o jogador dá poucas entrevistas, mas se manifesta com frequência nas redes. Isso gera interação.

Já a seleção brasileira está no topo da lista como mais comentada, mas ainda deixa a desejar quando o assunto é interação. Nesse quesito, por exemplo, perde por larga margem para o México, seleção que o próprio Brasil eliminou nas oitavas de final. Ou seja, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) poderia explorar muito mais esse momento que ocorre a cada quatro anos para ampliar sua base e disputar atenção de uma audiência qualificada.

“Este é o momento perfeito para se apropriar do tema e embarcar em conversas sobre a Copa. Quando analisamos o estudo realizado pela Socialbakers em torno do engajamento dos times e jogadores nas redes sociais até o dia 4 de julho, os times brasileiros estão em sétimo lugar quando comparados a 32  países. Quando analisamos jogadores, Neymar é o primeiro dentre os 20 com maior engajamento, mas é o único brasileiro. Sendo o torcedor apaixonado por futebol e redes sociais, certamente há uma grande oportunidade para se explorar”, comenta Alexandra Avelar, country manager da Socialbakers.

 

Instagram.

Principal estrela da seleção brasileira, Neymar ainda fica atrás de Cristiano Ronaldo no número de seguidores no Instagram. O craque brasileiro tem 98,3 milhões de fãs, contra 133 milhões do astro português. Messi, terceiro da lista, está na cola de Neymar, com pouco mais de 96,3 milhões. 

Entre os jogadores que foram para a Rússia, Cristiano Ronaldo publicou quatro das cinco fotos mais curtidas na plataforma. Com quase 10 milhões de curtidas, a principal postagem veio depois dos três gols no empate por 3 a 3 com a Espanha.

Na seleção brasileira, um destaque é o goleiro Alisson. Ele foi o que mais cresceu em número de seguidores desde o início do Mundial em porcentagem. Soma 2,3 milhões. Em boa fase na Rússia, Coutinho chegou aos 16,2 milhões de seguidores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.