Brasil em campo para defender a história

Um ano e dois meses depois de conquistar pela quinta vez o título da Copa do Mundo, o Brasil dá início neste domingo a uma nova e longa jornada em busca do hexacampeonato. Enfrenta a Colômbia às 16h10 (18h10, em Brasília), no Estádio Metropolitano Roberto Melendez, em Barranquilla, na estréia das duas seleções nas Eliminatórias para o Mundial de 2006. O técnico Carlos Alberto Parreira escalou sete jogadores que entraram em campo na partida final da Copa de 2002, entre os quais Ronaldo e Rivaldo; e ainda o goleiro Dida, naquela oportunidade reserva de Marcos.Com a exceção de Gilberto Silva, o meio-de-campo será formado por três atletas excluídos da vitoriosa campanha na Coréia do Sul e Japão: Emerson, Zé Roberto e Alex. Após a partida, a delegação viaja para Manaus, onde enfrenta o Equador na quarta-feira, pela segunda rodada do torneio.A decisão da Fifa de tirar do último campeão mundial o privilégio de não disputar as eliminatórias recebeu muitas críticas de Parreira e dos jogadores durante a semana. O lateral-esquerdo Roberto Carlos foi o mais contundente. ?Só pode ser por interesse comercial.? Pelo torneio que classificará quatro seleções sul-americanas à próxima Copa do Mundo, na Alemanha - uma quinta vaga será disputada com um representante da Oceania -, o Brasil vai jogar 18 vezes até o final de 2005. ?Esse vaivém é desgastante, e o sacrifício da nossa equipe, campeã do mundo, foi desconsiderado com a medida?, protestou Rivaldo.Em Barranquilla faz muito calor e a expectativa é de que a temperatura na hora do jogo esteja em torno de 35 graus. Isso alertou a comissão técnica da seleção para um ponto importante: será que o Brasil vai conseguir manter o ritmo até o final da partida? O preparador físico Moracy Sant?anna tem dúvidas. ?O Milan e o Real Madrid não fizeram uma boa pré-temporada, o que pode ter reflexo na atuação de alguns atletas?, comentou.Ele se referia mais especificamente a Rivaldo e Ronaldo. Os dois treinaram em ritmo não muito intenso na preparação em Teresópolis e podem não suportar os 90 minutos. Tanto isso é previsível que Parreira fez questão de dar atenção especial a Luís Fabiano nos dois últimos coletivos, a fim de aproveitá-lo no segundo tempo do jogo com a Colômbia.Com a escalação de Alex e Emerson, Kaká e Renato também surgem como opções para o decorrer da partida, que deve ter um público em torno de 60 mil pessoas.Parreira não deu nenhuma instrução à defesa sobre como conter o atacante Aristizábal, do Cruzeiro, um dos principais artilheiros do Campeonato Brasileiro. Não quer o time atuando em função de um ou outro adversário. ?Sabemos do potencial dele, mas não haverá marcação individual?, ressaltou.O técnico aposta no bom desempenho de Alex para ajudar a seleção a sair de Barranquilla com a vitória. Ele atuará como o ?número 1? entre o meio e o ataque, como disse Parreira. Ou seja, terá a função de servir Ronaldo com seus lançamentos e de buscar tabelas com Rivaldo para criar situações de gol. ?É o melhor jogador no momento em atividade no Brasil, contamos com ele?, afirmou o técnico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.