Fernando Bizerra Jr./EFE
Fernando Bizerra Jr./EFE

Brasil empata com a Colômbia e perde os 100% com Tite nas Eliminatórias

Seleção brasileira deixa de somar pontos na competição pela primeira vez sob o comando do treinador

Marcio Dolzan, enviado especial a Barranquilla, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2017 | 19h43

O jogo que colocou frente a frente o campeão simbólico e a até então vice-líder das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa da Rússia foi a festa que se esperava. Nesta terça-feira à tarde, Colômbia e Brasil empataram em 1 a 1 numa partida equilibrada, aberta, emocionante e com mais de um protagonista. Isso porque o público que queria ver as peripécias e arremates de Neymar, Falcao García e James Rodríguez viu também as de Willian.

O jogador que Tite chamou de “foguete” após o jogo com o Equador, na quinta-feira passada, deu um novo motivo para merecer a definição no jogo desta terça. Aos 46 do primeiro tempo, ele aproveitou passe de Neymar e mandou a bola, de primeira, no ângulo esquerdo do goleiro Ospina. Um golaço que, apesar de silenciar o Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, fez valer o ingresso de seus 45 mil torcedores.

Mesmo debaixo de uma sensação térmica que bateu os 43°C, Colômbia e Brasil fizeram uma partida movimentada, com os dois times buscando o ataque e com um número considerável de chances de gol.

A seleção brasileira começou a partida com suas linhas avançadas, com Neymar pela esquerda, Willian pela direita e Roberto Firmino fazendo o pivô pelo meio. O atacante do Paris Saint-Germain, contudo, não tinha liberdade alguma com a marcação de Santiago Arias, enquanto Firmino carecia de maior mobilidade. Willian, por sua vez, trabalhava bem a bola pelo flanco direito, ajudado principalmente pelos avanços de Daniel Alves. Ofensivo, o lateral sofreu com a marcação no primeiro tempo e precisou de atendimento duas vezes por entradas de adversários em seu tornozelo direito.

Na metade do primeiro tempo, Tite lançou mão da mesma alternativa tática da semana passada, permitindo a Neymar se movimentar por todos os setores de ataque, principalmente pelo meio. A mudança deu mais liberdade ao atacante brasileiro, mas também fez com que o lateral-direito Arias se desgarrasse mais ao ataque e aumentasse o poder ofensivo colombiano.

Apesar disso, na etapa inicial a Colômbia teve apenas duas chances de gol. Curiosamente, a melhor delas partiu de um cabeceio do zagueiro Thiago Silva. O defensor – que fez uma ótima partida e quase conseguiu anular Falcao García – subiu para evitar o cabeceio do atacante e acabou cabeceando contra a meta de Alisson, que se esticou todo e mandou para escanteio.

O Brasil, por sua vez, foi eficiente na marcação, rápido na saída de jogo e pouco perigoso nas finalizações. Firmino tentou duas vezes, sem perigo, enquanto Neymar teve uma boa chance, mas quase sem ângulo chutou cruzado para fora.

O primeiro tempo se encaminhava para um fim de futebol pouco mais do que morno numa tarde escaldante quando dois lances mudaram tudo. Aos 45, o jogo precisou ser interrompido porque um cachorro decidiu passear tranquilamente pelo campo de jogo, o que divertiu a torcida. E, aos 46, veio o golaço de Willian.

PRESSÃO

O gol no fim do primeiro tempo obrigou a Colômbia a ir ao ataque. Chará entrou na vaga de Cuadrado, e o técnico Jose Pekerman puxou James Rodríguez para atuar mais próximo de Arias, pela direita. Passou pelos pés dos dois o lance que originou o empate – um cabeceio certeiro de Falcao García aos 10, que se antecipou a Marquinhos.

Com a igualdade, a torcida se inflamou e a seleção colombiana correspondeu com muita pressão ofensiva. O Brasil não conseguia sair da defesa e Alisson precisou intervir três vezes. Tite, então, repetiu outra mudança que fizera quinta-feira passada, diante do Equador. Ele colocou Philippe Coutinho na vaga de Renato Augusto e a seleção equilibrou a partida. O empate se manteve e o Brasil perdeu seus primeiros dois pontos na era Tite pelas Eliminatórias. Mas segue invicto.

FICHA TÉCNICA

COLÔMBIA 1 X 1 BRASIL

COLÔMBIA – Ospina; Santiago Arias, Zapata, Davinson Sánchez e Fabra (Tesillo); Carlos Sánchez, Aguilar, Cardona (Teo Gutierrez), James Rodriguez e Cuadrado (Chará); Falcao García. Técnico: Jose Pekerman.

BRASIL – Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Rodrigo Caio), Marquinhos e Filipe Luís; Fernandinho, Renato Augusto (Philippe Coutinho), Paulinho, Willian e Neymar; Roberto Firmino. Técnico: Tite.

GOLS - Willian, aos 46 minutos do primeiro tempo; Falcao García, aos 10 do segundo tempo.

ÁRBITRO – Jesús Valenzuela (VEN).

CARTÕES AMARELOS – Cardona (COL), Daniel Alves (BRA).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO – Não disponível.

LOCAL – Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, em Barranquilla (COL).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.