Jean-Paul Pelissier/Reuters
Jean-Paul Pelissier/Reuters

Brasil encara a França e tentará encerrar tabu contra rival no Mundial feminino

Com adversário conhecido após última rodada, seleção de Marta e cia. quer aproveitar fase crescente após triunfo sobre a Itália

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2019 | 04h30

A seleção brasileira conheceu sua adversária nas oitavas de final da Copa do Mundo feminina de futebol. Será a anfitriã França, domingo, às 16h (de Brasília), em Le Havre. As francesas estão no caminho das brasileiras graças à vitória por 2 a 0 do Chile sobre a Tailândia, nesta quinta-feira, em duelo do Grupo F.

O duelo com a França promete ser complicado. Além de enfrentar as donas da casa, a seleção brasileira tentará o feito de acabar com um longo tabu. As seleções se enfrentaram uma vez em Copas do Mundo. Em 2003, nos Estados Unidos, ainda na fase de grupos, ficaram no 1 a 1, com gols de Katia Cilene e Marinette. Depois disso foram sete confrontos em amistosos, com cinco vitórias das francesas e dois empates.

“A gente sabe da qualidade da equipe da França. Elas estão jogando em casa, então acabam ganhando uma força muito maior da torcida. Tivemos essa experiência na Olimpíada e sabemos que a torcida empurra muito. Além disso, elas têm uma equipe muito qualificada, mas estamos preparadas para enfrentá-las”, analisou a meio-campista Andressinha.

 

A boa notícia para o Brasil é que o técnico Vadão contará com o retorno de Formiga, recuperada de dores no tornozelo, e pela primeira vez no torneio poderá contar com Marta durante os 90 minutos – ela está bem melhor fisicamente.

“Acho que a Formiga tem condição de ir, a gente está bem confiante. Sobre a Marta, começamos com 45 minutos, depois com 60, e é provável que na terceira partida ela consiga jogar o tempo todo”, explicou Nemi Sabeh, médico da seleção.

Nesta quinta-feira, pelo Grupo F, os Estados Unidos derrotaram a Suécia por 2 a 0 e confirmaram o primeiro lugar. As norte-americanas são favoritas ao título. Já o Chile fez 2 a 0 na Tailândia e acabou eliminado – Lara mandou na trave o pênalti que daria a classificação ao time. Pelo Grupo G, a Holanda ganhou de 2 a 1 do Canadá enquanto Camarões garantiu sua vaga ao bater a Nova Zelândia por 2 a 1 com um gol nos acréscimos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.