Brasil exalta peso de vitória 'sofrida' em semifinal

O Brasil precisou esperar até os 41 minutos do segundo tempo para que Paulinho marcasse de cabeça e garantisse a vitória por 2 a 1 sobre o Uruguai, levando a seleção para a decisão da Copa das Confederações. O sofrimento da classificação obtida na última quinta-feira, no Mineirão, foi exaltado pelos jogadores. Eleito melhor em campo na partida, após defender pênalti cobrado por Forlán ainda no primeiro tempo, Julio Cesar apontou que o time brasileiro precisa de triunfos assim para amadurecer.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2013 | 11h20

"É isso. Claro que tinha pressão e claro que, para aguentá-la, precisávamos manter os nervos no lugar", declarou. "Ao longo dos meus anos de seleção, algumas vezes nós ganhamos assim: com drama e não necessariamente num jogo muito bonito na parte técnica. E de uma coisa não tenho dúvida: de vez em quando é bom. Faz bem. Serve, certamente, para amadurecer."

Foi a primeira vitória mais complicada do Brasil na competição, depois de triunfos por mais de um gol de diferença sobre Japão (3 a 0), México (2 a 0) e Itália (4 a 2). Esse mesmo sofrimento deve ser enfrentado na final. No domingo, no Maracanã, o time brasileiro pegará o vencedor do duelo entre Itália e Espanha, que jogam nesta quinta, às 16 horas, em Fortaleza.

"Por mais que a gente venha jogando bem neste torneio, é preciso lembrar que esta equipe ainda está se encontrando em muitos aspectos. O time ainda está aprendendo a cada jogo e, hoje (quarta-feira), foi a vez de algo muito normal no futebol: a gente aprendeu a sofrer", avaliou o lateral Marcelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.