Brasil ganha da Suécia e alivia pressão sobre Mano

O Brasil derrotou a Suécia por 3 a 0, nesta quarta-feira, em amistoso que marcou a despedida do histórico Estádio Rasunda, onde foi disputada a final da Copa de 1958. Apenas quatro dias depois da frustrante derrota para o México na Olimpíada de Londres, que adiou o sonho do inédito ouro brasileiro, a vitória em Estocolmo alivia um pouco a pressão sobre o técnico Mano Menezes no comando da seleção.

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2012 | 17h02

Palco da final da Copa de 1958, quando o Brasil venceu a Suécia por 5 a 2 e conquistou o primeiro de seus cinco títulos mundiais, o Rasunda será demolido. Construído em 1937, o estádio tem hoje capacidade para 36 mil pessoas. E estava cheio nesta quarta-feira, para ver o amistoso entre as duas seleções e reverenciar alguns dos astros que estiveram naquela decisão: Pelé, Pepe, Mazzola e Zito.

Antes do amistoso, o clima foi de festa. O time do Brasil entrou em campo com uma réplica da camisa azul utilizada na final de 58 - durante o jogo, porém, usou o uniforme atual. Do lado do sueco, ex-jogadores que fizeram história na seleção foram homenageados, como Larsson e Ravelli. Para completar, Pelé deu um simbólico pontapé inicial, sendo ovacionado no mesmo estádio onde se consagrou mundialmente.

Em relação ao time que perdeu a final olímpica, Mano teve quatro novidades nesta quarta-feira: Daniel Alves, David Luiz, Paulinho e Ramires, jogadores que, acima do limite de idade, não estavam nos Jogos de Londres. Em compensação, ficou sem o lateral Marcelo, que, suspenso, foi substituído por Alex Sandro. Do outro lado, a Suécia não pôde contar com seu principal nome, o atacante Ibrahimovic, contundido.

Com bola rolando, o Brasil tomou conta do jogo desde o início. A primeira boa chance veio aos 18 minutos, quando Oscar arriscou chute de fora da área e acertou a trave. No rebote, Neymar, sozinho dentro da área, marcou o gol, mas o árbitro apontou impedimento erradamente e anulou o lance. Aos 24, surgiu nova oportunidade brasileira em cobrança de falta de Daniel Alves, que assustou o goleiro sueco.

Neymar teve ótima chance aos 29 minutos, mas seu passe não alcançou Thiago Silva, que aparecia sozinho, já quase dentro do gol. Logo depois, porém, o Brasil abriu o placar. Dessa vez, Neymar acertou um cruzamento perfeito e encontrou Leandro Damião livre na área para cabecear e fazer 1 a 0 aos 31. Na sequência, a Suécia tentou atacar um pouco mais, mas sofreu com a ausência de Ibrahimovic.

No segundo tempo, a Suécia não teve força para ameaçar. Assim, o Brasil manteve o controle do jogo, desperdiçando algumas chances. Aos nove minutos, por exemplo, Paulinho aproveitou cobrança de falta e cabeceou com perigo, para fora. Aos 22 e aos 23, dois chutes de Leandro Damião assustaram o goleiro sueco. Mano, então, trocou Leandro Damião e Oscar por Alexandre Pato e Hulk, respectivamente.

Depois, Mano também tirou Neymar para a entrada de Lucas. Com as mudanças, o Brasil marcou dois gols quase na sequência, ambos com Alexandre Pato. Aos 38 minutos, Hulk arriscou o chute, a bola bateu no zagueiro e sobrou para Daniel Alves tocar para Pato fazer o gol. E aos 39, Pato arrancou sozinho pela área e sofreu pênalti. Ele mesmo bateu e definiu a vitória brasileira por 3 a 0.

A vitória desta quarta-feira em Estocolmo serviu para diminuir um pouco a pressão sobre Mano Menezes. Mas a tranquilidade dele pode acabar logo. Os próximos compromissos da seleção brasileira estão marcados já para o começo de setembro. No dia 7, o Brasil enfrenta a África do Sul no Morumbi, em São Paulo. E na sequência, tem o amistoso contra a China, no dia 10, no Estádio do Arruda, no Recife.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 3 x 0 SUÉCIA

BRASIL - Gabriel; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz (Dedé) e Alex Sandro; Rômulo, Paulinho (Sandro), Ramires e Oscar (Hulk); Neymar (Lucas) e Leandro Damião (Alexandre Pato). Técnico: Mano Menezes.

SUÉCIA - Isaksson; Larsson, Granqvist, Olsson e Safari; Wernbloom, Holmen, Elm (Svensson) e Toivonen; Wilhelmsson (Kacaniklic) e Berg (Hysen). Técnico: Erik Hamren.

GOLS - Leandro Damião, aos 31 minutos do primeiro tempo; Alexandre Pato, aos 38 e aos 39 (pênalti) minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Viktor Kassai (Hungria/Fifa).

CARTÕES AMARELOS - Larsson, Wernbloom e Thiago Silva.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Rasunda, em Estocolmo (Suécia).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção brasileiraRasunda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.