Brasil ganha fácil da Turquia e mantém 100% com Dunga

Treinador venceu todas as partidas disputadas após seu retorno para a seleção; na próxima terça, equipe enfrenta a Áustria em Viena

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2014 | 18h33

Atualizada às 19h

ISTAMBUL - A concorrência está aberta e quem quiser disputar uma vaga na seleção de Dunga terá de mostrar serviço. Ontem, a seleção brasileira com novos nomes manteve seu ritmo de vitórias depois da Copa do Mundo, goleou a fraca Turquia por 4 x 0 e, internamente, acirrou a disputa entre os jogadores no grupo que Dunga tenta recriar depois do vexame do Mundial. Quebrando todos os tabus, a torcida turca, tradicionalmente fanática por sua seleção, se curvou e aplaudiu o Brasil de pé.

Se contra a Alemanha na semi-final do Mundial o Brasil levou quatro gols em seis minutos, na Era Dunga já são 450 minutos invictos na zaga. Em 5 jogos, o time marcou 12 gols. O marca só é superada pela própria zaga montada por Dunga entre 2009 e 2010.


Nesta quarta em Istambul, o Brasil foi à campo com novidades e, principalmente, com o recado de Dunga de que ninguém tem cadeira cativa na seleção. Sem poder convocar os jogadores que atuam no Brasil, o treinador usou o jogo para testar novas opções e dar chances para "novatos" que atuam no exterior. O rendimento acabou sendo até mais alto, com um jogo ofensivo e envolvendo os turcos.

Uma vez mais, Neymar foi a peça central. O craque do Barcelona aproveitou um lançamento aos 19 minutos e abriu o placar.

Ele, que já havia sido chave nas vitórias de Dunga nos últimos jogos, abusou de toques de calcanhar contra uma zaga perdida, puxou contra-ataques, deu o passe para mais um gol e, no segundo tempo, fez seu segundo na partida e quarto da seleção. Neymar passou a ser ovacionado pela torcida local, até mesmo em lances de impedimento.

Entre os novatos, quem não desperdiçou a oportunidade foi Luiz Adriano, artilheiro do Shakhtar e convocado no lugar de Diego Tardelli. Aos 23 minutos, ele ampliou o placar e marcou seu primeiro gol pela seleção em sua primeira convocação ao finalizar um cruzamento de Danilo. O terceiro gol saiu dos pés de Willian, um dos destaques do jogo e completando ainda no primeiro tempo uma jogada de Neymar.

Na zaga, Miranda voltou a mostrar eficiência e porque colocou o ex-capitão, Thiago Silva, no banco. A defesa termina seu quinto jogo consecutivo sem levar gols. O goleiro Diego Alves também mostrou porque é um sério concorrente ao posto que, teoricamente, seria de Jefferson. Em duas ocasiões, evitou com belas defesas o gol turco. Dunga ainda cumpriu sua promessa e colocou em campo o estreante Firmino, Philipe Coutinho, Casemiro e Douglas Costa.

De Istambul, o Brasil viaja hoje para Viena onde enfrenta a seleção da Austria, em alta. A última partida do ano da seleção ocorre na terça-feira. Mas Dunga já leva consigo uma certeza: a de que a concorrência está aberta em diversas posições na seleção.

 

FICHA TÉCNICA:

TURQUIA 0 X 4 BRASIL

TURQUIA - Demirel (Babacan); Kaya, Irtegün e Köybasi; Tufan, Kisa (Erkin), Altintop (Inan), Arda Turan e Topal (Tarik); Erdinç (Sen) e Bulut (Potuk). Técnico: Fatih Terim.

BRASIL - Diego Alves; Danilo, David Luiz, Miranda e Filipe Luís; Luis Gustavo (Fred), Fernandinho (Casemiro), Oscar (Philippe Coutinho) e Willian (Douglas Costa); Luiz Adriano (Roberto Firmino) e Neymar. Técnico: Dunga.

GOLS - Neymar, aos 19, Kaya (contra), aos 23, e Willian, aos 43 minutos do primeiro tempo; Neymar, aos 14 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Ravshan Irmatov (Usbequistão).

CARTÃO AMARELO - Erkin.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Sükrü Saracoglu, em Istambul (Turquia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.