Brasil garante que não teme a Argentina

Enfrentar a Argentina não amedronta a seleção brasileira sub-20, que voltou hoje aos treinos, depois da goleada por 5 a 1 sobre o Japão na sexta-feira, resultado que alçou a equipe à fase semifinal do Mundial da categoria, disputado nos Emirados Árabes Unidos. ?Apesar do difícil jogo contra os Estados Unidos, os argentinos realizam uma excelente campanha?, disse o técnico do Brasil, Marcos Paquetá, que vai manter entre os titulares o meia Juninho no lugar de Andrezinho. A partida será disputada segunda-feira, ao meio-dia (horário de Brasília), em Abu-Dabi. ?A Argentina é uma equipe que atua parecida com o Brasil, procurando o gol, para obter a vitória. Mas não existe esse negócio de medo. Se eles são fortes, também já provamos que somos.? O adversário superou os EUA no ?gol de ouro?, durante a prorrogação. Esteve perdendo por 1 a 0 no tempo normal. Mas Paquetá nega que havia uma torcida particular da seleção brasileira para não enfrentar os rivais sul-americanos. ?Para vencer o Mundial não podemos nos preocupar com quem vamos jogar.? Ele ainda vai decidir se escala o atacante Dagoberto no lugar de Kléber para o jogo com a Argentina. O atleta atuou durante 30 minutos contra o Japão e a tendência é a de que permaneça no banco de reservas para ser aproveitado no segundo tempo. Paquetá lembrou que o clássico será um confronto difícil. Apesar das dificuldades que os argentinos tiveram para prosseguir na competição, ao se classificarem somente com o ?gol de ouro? nas quartas-de-final, o técnico brasileiro não acredita que o fato tenha representado desgaste emocional para o adversário. Ainda hoje a vitória sobre o Japão era comemorada pela seleção. Paquetá destacou o desempenho dos jogadores e procurou motivá-los ainda mais para o próximo desafio. ?Tivemos excelente atuação e, como venho dizendo, estamos melhorando a cada partida?, afirmou. ?Estamos muito próximos de alcançar os 100% de nosso rendimento.? De acordo com Paquetá, a seqüência de jogos tem sido a principal responsável pelo aumento de produção dos jogadores brasileiros e que isto já estava previsto antes da competição. Lembrou que o time só havia atuado por duas vezes, em jogos treinos, sob seu comando, o que dificultou um bom entrosamento antes do Mundial. Colômbia e Espanha se enfrentam também na segunda, na outra partida pela semifinal do do torneio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.