Brasil goleia e elimina Itália da Copa das Confederações

A seleção brasileira venceu a Itália por 3 x 0 e se classificou em primeiro lugar no Grupo B da Copa das Confederações para enfrentar a anfitriã África do Sul na semifinal. Os italianos, atuais campeões mundiais, perderam a segunda colocação para os Estados Unidos e estão eliminados.

REUTERS

21 de junho de 2009 | 17h46

O time norte-americano derrotou o Egito por 3 x 0 e conseguiu uma combinação de resultados improvável para avançar. Agora, os EUA encaram a Espanha na outra semifinal do torneio preparatório para a Copa do Mundo de 2010.

Jogando em Pretória, a equipe do técnico Dunga fez o primeiro gol com o atacante Luís Fabiano e ampliou em dois contra-ataques, ainda no primeiro tempo, com mais um gol do atacante do Sevilla e outro contra.

"Com muito esforço conseguimos fazer uma boa partida. O Brasil está de parabéns. Apesar de muita gente não acreditar, venho cumprindo o meu papel," disse Luís Fabiano.

O meia Kaká, que fez seu primeiro jogo contra a Itália, comemorou o fato de eliminar um rival. "O Brasil fez por merecer. Todas as vezes que a seleção tem oportunidade de ficar um tempo junta vai bem. É muito bom eliminar um forte concorrente," declarou.

A única mudança na escalação do Brasil em relação ao time que derrotou os Estados Unidos por 3 x 0, na quinta-fera, foi a entrada de Juan na vaga de Miranda. Dessa forma, a equipe começou a partida com Júlio César, Maicon, Lúcio, Juan e André Santos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Ramires e Kaká; Robinho e Luís Fabiano. Porém, logo aos 24 minutos do primeiro tempo Juan sentiu uma lesão e teve que ser substituído por Luisão.

A seleção brasileira começou bem o jogo e aos 6 minutos Ramires acertou uma bola na trave após passe de Luís Fabiano.

O time de Dunga continuou insistindo e Lúcio teve duas boas chances -na primeira delas o goleiro Buffon fez a defesa e na segunda o chute do zagueiro acabou na trave.

De tanto insistir, a seleção abriu o placar aos 37 minutos, quando Maicon tentou um chute e a bola ficou no meio do caminho com Luís Fabiano, que girou e chutou cruzado.

Aos 43 minutos, depois de contra-ataque com Kaká e Robinho, a bola sobrou para Luís Fabiano empurrar para as redes: 2 x 0. Dois minutos, em outro contra-ataque, o Brasil ampliou. Robinho avançou pela esquerda, tentou um passe no meio para Ramires, mas Dossena apareceu antes e tocou contra o próprio gol.

No segundo tempo, o Brasil passou a tocar a bola no ataque e continuou controlando a partida.

A partir dos 15 minutos, porém, os italianos esboçaram uma pressão e tentavam o gol principalmente em chutes de fora da área. Em duas finalizações fortes de Rossi, Júlio César defendeu.

Aos 31 minutos, com o goleiro brasileiro fora do gol, Pepe tentou diminuir mas Felipe Melo salvou.

O técnico Dunga, então, fez a segunda substituição aos 39 minutos: Kléberson entrou no lugar de Gilberto Silva. Logo depois. Josué substituiu Ramires.

Nos minutos finais, o Brasil só tocou a bola, enquanto a Itália assistia e acabou se despedindo da competição com uma campanha pífia: derrotas para Egito e Brasil e uma vitória de virada sobre os EUA.

(Texto de Tatiana Ramil; Edição de Marcelo Teixeira)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTBRAXITAGOLEIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.