Brasil goleia Equador e é campeão sul-americano sub-17

Os garotos do Brasil confirmaram o favoritismo e levantaram a taça de campeões sul-americanos sub-17, neste domingo, em Quito, no Equador. Um empate contra os equatorianos bastava para a conquista do título, mas a seleção brasileira entrou com muito apetite e goleou o adversário por 5 a 2, na última rodada do hexagonal final do campeonato.Foi o oitavo título do Brasil em 11 edições do Sul-Americano sub-17. Além disso, a seleção conquistou uma vaga para a disputa do Mundial da categoria, que será em agosto, na Coréia do Sul.No primeiro tempo, com 24 minutos de jogo, o Brasil já vencia por 3 a 0. Lulinha, atacante do Corinthians, abriu a contagem aos 10 - foi o seu 12.º gol no Sul-Americano, em oito jogos disputados, terminando como artilheiro isolado do campeonato. Bernardo, cobrando falta, fez o segundo da seleção aos 18. E o lateral-esquerdo Fábio fez o terceiro aos 24.O mesmo Fábio ampliou aos 32 minutos, marcando seu sétimo gol no torneio, o que lhe vale a vice-artilharia, atrás apenas do companheiro Lulinha.No segundo tempo, a seleção brasileira se acomodou depois que fez o quinto gol, aos 12 minutos, com Maicon. O Equador aproveitou para diminuir, fazendo dois gols - com Marin e Rodriguez -, mas não ameaçou a vitória do Brasil."Fico muito feliz por estar passando por esta fase, mas mais feliz ainda por ter ajudado o Brasil e os meus companheiros a conquistar este título", disse Lulinha, o grande destaque do time brasileiro e do torneio.No hexagonal final, o Brasil somou 13 pontos em cinco jogos, tendo vencido quatro deles e empatado apenas um, contra a Colômbia. Com isso, o time do técnico Edgar Pereira superou a campanha irregular na primeira fase do Sul-Americano sub-17, quando chegou a perder duas vezes (Equador e Peru).Os campeões retornam nesta segunda-feira do Equador e devem ser homenageados com um almoço, patrocinado pela CBF. A seleção sub-17 irá representar o Brasil no torneio de futebol masculino dos Jogos Pan-Americanos do Rio, em julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.