Brasil goleia, mas toma 2 da Venezuela

A seleção brasileira confirmou amplamente o seu favoritismo e goleou a Venezuela por 5 a 2 na noite deste sábado, em Maracaibo, em partida que encerrou o primeiro turno das eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2006. Com esse resultado, o time do técnico Carlos Alberto Parreira mantém a liderança na competição, com 19 pontos ganhos - um a mais que a Argentina, que na abertura da rodada, à tarde, bateu o Uruguai por 4 a 2. A seleção fez o seu papel. Goleou com gols de Kaká (2), Ronaldo (2) e Adriano - mas deixou o estádio um pouco ressabiada. Afinal tomou dois gols da Venezuela, um adversário tradicionalmente inofensivo. Até hoje o time brasileiro só havia tomado dois gols da Venezuela, em 15 confrontos entre as equipes em toda a história. Parreira reclamou. ?O time fez os 5 gols que devia. mas tomou os dois que não devia ter tomado?, disse o técnico ao final do jogo.A partida teve um pouco de tudo. De confusão fora do estádio a invasão de campo por torcedores. Mas quando o jogo começou, não fugiu muito à expectativa. O técnico venezuelano Richard Paez havia avisado: seu time sempre joga no ataque e não iria mudar a maneira de atuar só porque iria enfrentar o Brasil. E foi assim. Mesmo diante do time pentacampeão do mundo e líder isolado nas Eliminatórias, a Venezuela não se fechou. E esse foi seu erro. O time até que marcava bem na intermediária e saia em velocidade para o ataque. Os brasileiros, que não esperavam esse posicionamento do adversário, tiveram certa dificuldade no início, mas primeiro gol não demorou a sair.Aos 5 minutos, Kaká tabela na entrada da área; toca entre as pernas de um zagueiro, invade a área e manda no canto esquerdo do goleiro para fazer 1 a 0. Corajosa, a Venezuela continuou atacando e chegou a ameaçar o gol de Dida em duas oportunidades. A primeira com Arango, aos 19 minutos e outra com Rey, aos 26, numa ótima cobrança de falta. O Brasil, no entanto, controlava bem o jogo e segundo gol veio aos 34 minutos, outra vez com Kaká. Ronaldo recebe livre e tenta driblar o goleiro. Kaká aproveita a sobra e marca. O jogo foi definitivamente resolvido no início do segundo tempo. Aos 3 minutos, Ronaldo - que não marcava havia um mês - faz 3 a 0 num lance de oportunismo. Dois minutos depois, ele mesmo ampliou para 4 a 0, num lance de infelicidade do goleiro Angelucci. Ronaldo chutou fraco, mas a bola passou no meio das pernas do venezuelano. Adriano - que havia entrado no lugar de Kaká - fez 5 a 0 num chute em diagonal, pelo lado direito do ataque. A partir daí, Seleção se acomodou. A Venezuela cresceu e o atacante Moran entrou para a história. Aos 34 minutos, em impedimento, ele diminiu para 5 a 1. Aos 45, ele voltou a marcar fazendo 5 a 2, para delírio dos torcedores venezuelano. A seleção volta a campo na quarta-feira em Maceió, para a partida contra a Colômbia, que também neste sábado à noite empatou por 1 a 1 com o Paraguai, em Barranquilla. No outro jogo da noite, a Bolívia derrotou o Peru por 1 a 0 em La Paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.