Brasil já tem as desculpas prontas

São várias as desculpas preestabelecidas pela seleção brasileira para justificar um eventual fracasso na partida contra o Equador, nesta quarta-feira, às 15 horas (17h de Brasília), em Quito. A altitude de 2.800 metros da cidade, o campo irregular do estádio Olímpico Atahualpa,a pressão da torcida adversária, o curto período de treinamento e a motivação da (fraca) equipe do Equador. Todos esses exemplos permearam o discurso dos jogadores e do técnico Emerson Leão durante os dois dias de preparação em Guayaquil.Só houve uma voz destoante no grupo, para reiterar que uma derrota ou empate na 11ª partida do Brasil pelas Eliminatórias do Mundial de 2002 não tem nenhuma explicação: o sempre polêmico Romário, pivô de um atrito com a comissão técnica por ter se atrasado no embarque da delegação para o Equador. Ele deixou claro que a tradição do futebol do País tem de prevalecer. "O Brasil tem a obrigação de vencer e é só isso."Leão vai buscar evidentemente a vitória, mas acha exagerado o termo "obrigação". "Temos sim o desejo de ganhar os três pontos, qualidade e competência não nos falta", afirmou o treinador, depois de ressaltar que os efeitos da altitude podem representar perda de 15% do potencial físico da equipe.A seleção viaja somente na manhã desta quarta-feira para Quito, a fim de tentar minimizar problemas comuns em locais de grande altitude, como falta de ar, náuseas e dor de cabeça. Só depois de desembarcar na capital equatoriana é que Leão anunciará a formação do time. Há dúvidas na escalação. A princípio, Silvinho deve iniciar o jogo. Mas pode haver a opção por César na lateral esquerda.O mistério estende-se ao meio-de-campo e ataque, setores em que Juninho Paulista, Ronaldinho e Edílson disputam duas vagas. Um dos dois últimos vai fazer a dupla de frente com Romário.Com 16 pontos, quatro a menos que o vice-líder Brasil, o Equador está na luta pela classificação ao Mundial. Por isso, sonha em surpreender nesta quarta-feira. Para aumentar o otimismo, o time da casa terá o reforço do veterano Aguinaga, ausente na última partida pelas Eliminatórias, em que o Equador derrotou a Venezuela por 2 a 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.