Claudio Reys/AFP
Claudio Reys/AFP

Brasil joga mal de novo, mas vence a Bolívia e avança no Sul-Americano Sub-20

Time comandado por Carlos Amadeu não tem boa apresentação, mas faz o suficiente para se manter vivo na competição

Redação, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2019 | 21h08

O Brasil teve dificuldade, mas venceu a Bolívia por 1 a 0, nesta sexta-feira, pela quinta rodada do Campeonato Sul-Americano Sub-20, disputado no Chile. Com o resultado, a seleção comandada por Carlos Amadeu se classificou para a disputa do hexagonal final do torneio.

Após quatro partidas, o Brasil conquistou sete pontos, dois a menos do que a Venezuela, que terminou a chave na liderança. A campanha brasileira foi suficiente para alcançar a próxima fase, mas o desempenho foi aquém do esperado.

Autor do gol da vitória contra a Bolívia, Lincoln admitiu que o Brasil ficou devendo na partida. "Fizemos um jogo abaixo do esperado. Vamos comemorar essa classificação e a vitória, e, no dia que tivermos para trabalhar, conseguir corrigir os erros. A gente tem de parabenizar as outras equipes, que são boas, mas acho que temos de rodar a bola um pouco mais rápido para criar mais chances de gol", analisou o centroavante em entrevista ao SporTV.

Nas demais partidas disputadas na primeira fase, o Brasil empatou por 0 a 0 com a Colômbia, venceu a Venezuela por 2 a 1 e perdeu por 1 a 0 para o Chile. Na próxima fase, a seleção vai competir pelo título do Sul-Americano e por uma das três vagas em disputa para participar do Mundial Sub-20, que vai ser realizado na Polônia, entre maio e junho.

O JOGO - Após um início de partida morno, Rodrygo fez jogada pelo lado esquerdo do ataque, invadiu a área e sofreu pênalti. Na cobrança, Lincoln correu com tranquilidade e deslocou o goleiro para abrir o placar, aos 25 minutos da etapa inicial. O Brasil só voltou a incomodar no segundo tempo, mas Tetê, cara a cara com o goleiro boliviano, perdeu chance clara de gol ao chutar para fora.

A Bolívia, que dependia de uma vitória por larga vantagem para se classificar, foi para o tudo ou nada na reta final da partida. Um chute de fora da área, defendido por Felipe, e lances de pressão nos últimos minutos levaram perigo à meta brasileira, mas o placar por 1 a 0 foi mantido.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.