Reprodução/CBF Twitter
Reprodução/CBF Twitter

Brasil joga mal e fica no 0 a 0 com a Colômbia na estreia do Sul-Americano Sub-20

Time comandado pelo técnico Carlos Amadeu não criou muitas oportunidades e passou por alguns sustos contra os colombianos

Redação, Estadão Conteúdo

19 de janeiro de 2019 | 21h13

Não foi a estreia que todos esperavam. Neste sábado, já pela segunda rodada do Grupo A - teve folga na primeira -, a seleção brasileira sub-20 teve uma atuação abaixo das expectativas e ficou no empate sem gols contra a Colômbia, no estádio El Teniente, em Rancagua, no Chile, na sua primeira partida pelo Sul-Americano da categoria.

O time comandado pelo técnico Carlos Amadeu não criou muitas oportunidades e passou por alguns sustos contra os colombianos, que na estreia haviam perdido por 1 a 0 para a Venezuela, atual vice-campeã mundial sub-20. Os venezuelanos, aliás, serão os próximos rivais do Brasil, nesta segunda-feira, às 20h30 (de Brasília), também em Rancagua.

Em novembro passado, Brasil e Colômbia fizeram dois amistosos, em Belo Horizonte e Goiânia, que terminaram empatados por 2 a 2 e 0 a 0. Neles, a seleção brasileira tinha o atacante Vinicius Junior em campo, o que não acontece no Chile porque o Real Madrid não o liberou para o Sul-Americano. Isso influiu muito no desempenho ofensivo, que foi quase nulo.

Tirando duas cabeçadas do zagueiro Walce nos minutos iniciais do jogo, o Brasil não mostrou poder ofensivo no primeiro tempo. Quando tocou na bola, o meia Rodrygo, do Santos, que é o armador do time, ou errou o passe ou foi facilmente desarmado. Os colombianos pressionaram a saída de bola brasileira e quase se deram bem no erro do goleiro Phelipe, pouco antes do intervalo. Rivaldo Correa tocou por cobertura, mas Walce salvou.

Na segunda etapa, a Colômbia seguiu melhor e quase abriu o placar. Phelipe defendeu uma cabeçada à queima-roupa e a zaga rebateu outra boa chance dentro da área. O Brasil só melhorou com a entrada de Igor, aos 20 minutos. Teve uma oportunidade com Emerson e a melhor já nos acréscimos, quando o mesmo Igor chutou uma falta da entrada da área no travessão.

"Foi uma estreia boa, eu acho que a gente teve uma preparação boa, faltou só aquele último passe para entrar na cara do gol e fazer. As duas equipes tiveram seus momentos, só faltou o gol", disse o goleiro brasileiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.