Matilde Campodonico/AP
Matilde Campodonico/AP

Brasil mira chance de fazer sua melhor campanha na história das Eliminatórias

Além do Uruguai, seleção enfrenta Paraguai, Equador e Chile

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 14h02

O jogo com o Uruguai, nesta quinta-feira, em Montevidéu, será uma dos últimos desafios mais complicados para a seleção brasileira pelas Eliminatórias no caminho para se garantir no Mundial da Rússia, em 2018. Mas, caso consiga pontuar diante do vice-líder do qualificatório sul-americano fora de casa, a equipe do técnico Tite terá encaminhado um recorde particular além da vaga na Copa, ao se aproximar da melhor campanha brasileira na história do torneio classificatório.

Atualmente o Brasil tem 27 pontos, número parecido ao da quantidade que foi suficiente para garantir a vaga direta ao Mundial nas edições anteriores de Eliminatórias. Desde a adoção do atual formato de disputa, com todas as equipes em chave única e em partidas de turno e returno, foram disputadas cinco edições. As melhores campanhas brasileiras foram somar 34 pontos para a Copa de 2006, na Alemanha, e para a de 2010, na África do Sul.

"A chance de classificação gera ansiedade. Estamos próximos, mas temos que administrar essa condição", disse o técnico Tite. O treinador evita fazer projeções de pontuação por preferir focar no jogo com o Uruguai, mas, caso vença os três jogos restantes em casa (Paraguai, Equador e Chile), terá conduzido o Brasil ao recorde de pontos nas Eliminatórias, independentemente dos resultados que conquistará como visitante.

Bater o Uruguai, no estádio Centenário, encaminha tanto a conta para se atingir o recorde, como para se chegar ao Mundial. Aliás, nestas Eliminatórias o Brasil pode confirmar a classificação com a maior antecedência já obtida pela equipe. Para o Mundial da África do Sul, a vaga ficou garantida a três rodadas do fim, com a vitória sobre a Argentina, por 3 a 1, em Rosário. Neste ano a presença na Rússia tem chances de vir com quatro rodadas de antecipação, desde que se concretize uma combinação favorável de resultados.

"Nos últimos jogos encontramos um padrão que deu sustentação à equipe, tanto na parte defensiva como ofensiva. Por isso, temos um equilíbrio que nos dá tranquilidade maior para trabalhar, para ter confiança. Vamos manter esse padrão para conseguir a classificação", comentou o meia Renato Augusto.

Tudo o que sabemos sobre:
seleção brasileirafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.