Brasil só empata com a Bolívia e recebe as vaias da torcida

Seleção joga muito mal no Engenhão e fica no 0 a 0 com o último colocado das Eliminatórias Sul-Americanas

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

10 de setembro de 2008 | 23h48

A seleção brasileira voltou a decepcionar a torcida nesta quarta-feira e perdeu a chance de se firmar na segunda posição na classificação das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010. Jogando contra a lanterna Bolívia no Engenhão, no Rio de Janeiro, a equipe não conseguiu marcar sequer um gol e ficou no 0 a 0.Veja também: Classificaçao das Eliminatórias Peru empata no fim e Argentina cede 2.º lugar ao Brasil 'A gordura que ganhamos no Chile, perdemos agora', diz Dunga Suspenso, Diego abre vaga para Kaká no time do Brasil Jogadores atribuem empate à forte marcação boliviana Chile passa fácil pela Colômbia por 4 a 0, em Santiago Em jogo fraco, Uruguai e Equador empatam em 0 a 0 'É preciso respeitar o pior futebol do mundo'Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Com o resultado ruim, o Brasil ainda fica no grupo dos que se classificariam para o Mundial se a competição terminasse hoje, com 13 pontos, mas agora está quatro pontos atrás do líder Paraguai. Já os bolivianos, que comemoraram muito o resultado, seguem em último lugar, com cinco pontos.A torcida presente no Engenhão não poupou os jogadores nem o técnico Dunga das vaias. Mais uma vez, o público gritou "adeus Dunga", como já havia feito em junho no Mineirão, no empate sem gols contra a Argentina.Agora, o Brasil só volta a campo pelas Eliminatórias entre os dias 11 e 12 de outubro, quando encara a Venezuela fora de casa na última partida do primeiro turno. Já os bolivianos recebem o Peru.JOGO RUIMA seleção brasileira não conseguiu imprimir seu melhor futebol em nenhum momento da partida nesta quarta. O estádio não estava lotado e isso parece ter influenciado no desempenho dos atletas, que enfrentaram uma forte marcação da Bolívia e criaram pouquíssimas chances de gol.A melhor chance brasileira na etapa inicial veio aos 17 minutos, em erro da defesa adversária. A bola sobrou para Maicon na direita e ele cruzou para Luís Fabiano, que não conseguiu cabecear a bola com perfeição e ela saiu pela linha de fundo.Apesar da retranca, a Bolívia aproveitou a péssima noite do Brasil para assustar o goleiro Júlio César. Aos 20 minutos, após bola rebatida, Hoyos teve uma grande chance, mas arrematou mal e a bola saiu pela linha de fundo, rente à trave.Apesar dos protestos dos torcedores na saída para o intervalo, o panorama do jogo não mudou no segundo tempo. Nem a expulsão de García, que fez falta dura em Robinho aos sete minutos, fez a equipe comandada por Dunga se encontrar em campo. Brasil0Júlio César; Maicon, Lúcio, Luisão      e Juan     ; Lucas (Júlio Baptista), Josué     e Diego      (Elano); Robinho, Luís Fabiano e Ronaldinho Gaúcho (Nilmar)Técnico: DungaBolívia0Arias; Hoyos     , Raldes, Rivero e Ignácio Garcia    ; Walter Flores, Robles, Ronald García, e Joselito Vaca; Jaime Moreno      (Luis Gutiérrez) e Marcelo Moreno (Pablo Escobar)Técnico: Erwin SánchezÁrbitro: Alfredo Intriago (EQU)Estádio: Engenhão, no Rio de JaneiroVendo que o time não criava nada, o treinador resolveu fazer alterações. Primeiro colocou Júlio Baptista no lugar de Lucas e depois sacou Ronaldinho Gaúcho e Diego para as entradas de Nilmar e Elano.Apesar da garra de Júlio Baptista, o Brasil não ameaçou de forma efetiva o gol de Carlos Arias. O lateral-esquerdo Juan Maldonado teve boa chance da entrada da área aos 30, mas errou alvoNa base do desespero nos minutos finais, a seleção brasileira ainda teve duas chance. A primeira com Josué, aos 45, que de frente para o gol não conseguiu arrematar. Um minuto depois, em lançamento para a grande área, Júlio Baptista desviou de cabeça e a bola raspou a trave. NÚMEROS RUINSO desempenho do Brasil em casa nestas Eliminatórias pode ser considerado medíocre. No ano passado, a equipe chegou a bater o Equador por 5 a 0 no Maracanã, mas depois disso só decepcionou.Contra o Uruguai no Morumbi, em novembro de 2007, superou o Uruguai por 2 a 1, mas jogou muito mal e só venceu na ocasião graças a uma noite inspirada de Luís Fabiano, que deixou duas vezes a sua marca.Em junho, contra a Argentina, a seleção só não foi derrotada em casa pela primeira vez na histórias das Eliminatórias para a Copa porque os adversários perderam chances claras de gol. O empate sem gols com a Bolívia agora só confirma a falta de entendimento dos jogadores brasileiros com a torcida.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.