Fernando Vergara/AP Photo
Fernando Vergara/AP Photo

Brasil só empata com o Uruguai e se complica no Pré-Olímpico

Após falhas dos dois goleiros, time de André Jardine se complica na busca por uma vaga para os Jogos de Tóquio

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2020 | 21h59

A seleção brasileira empatou, por 1 a 1, com o Uruguai, nesta quinta-feira, em Bucaramanga, pela segunda rodada do quadrangular decisivo do Pré-Olímpico da Colômbia. Com o resultado, a equipe do técnico André Jardine soma dois pontos, enquanto os uruguaios somam apenas um. Argentina (três pontos) e Colômbia (um) se enfrentam ainda nesta quinta-feira.

O Brasil volta a campo domingo, às 22h30, quando terá de vencer a Argentina para carimbar vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O zagueiro Nino levou o segundo cartão amarelo e não poderá jogar. Robson Bambu e Ricardo Graça disputam a vaga.

O começo do jogo foi o pior da seleção brasileira no Pré-Olímpico. Muitos foram os erros de passes na saída de bola. O Brasil até ficou com a bola, mas como os jogadores de frente pouco se movimentavam. Com isso, poucas foram as chances de gol.

Depois de um chute da intermediária de Matheus Henrique, aos 9 minutos, o time brasileiro só voltou a assustar a zaga uruguaia aos 29 minutos, com um chute para fora de Paulinho.

Sem ser agredido, o Uruguai se arriscou à frente e abriu o placar, graças a uma falha do goleiro Ivan, que não defendeu um chute de longe do volante Ugarte, aos 35 minutos.

A reação da seleção veio logo aos 39, por causa de uma falha absurda de Arruabarena. Pedrinho cabeceou em cima do goleiro, que fez a defesa. Na ânsia de sair jogando com velocidade, o goleiro se atrapalhou e deixou a bola passar a linha.

O Brasil não melhorou no retorno do intervalo. O Uruguai aproveitou para ocupar os espaços e somou duas boas oportunidades com o canhoto Piquerez. Uma delas foi uma falta, que acertou a trave direita de Ivan.

A seleção brasileira só incomodou a zaga uruguaia aos 13 minutos, com um belo chute de Matheus Cunha, defendido por Arruabarrena. A partir daí, a partida entrou em um período morno, no qual as equipes pouco produziram no ataque.

Aos 30 minutos, depois de cruzamento de Anthony pela direita, Matheus Cunha teve três chances de marcar no mesmo lance, mas o goleiro Arruabarrena se recuperou na partida.

Os últimos dez minutos, sem muita inspiração, o Brasil tentou pressionar, mas deixou espaços para os contra-ataques uruguaios, que também não tiveram sucesso.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 X 1 URUGUAI

BRASIL: Ivan; Guga, Nino, Bruno Fuchs e Iago; Bruno Guimarães, Matheus Henrique (Igor Gomes), Pedrinho (Pepê); Antony, Paulinho e Matheus Cunha. Técnico: André Jardine.

URUGUAI: Arruabarrena; José Rodríguez, Gularte, Laborda e Oliveros; Ugarte (Acevedo), Sanabria, Rossi e Piquerez; Ignacio Ramírez (Arezo) e Viñas. Técnico: Gustavo Ferreyra.

GOLS: Ugarte aos 35 e Arruabarrena aos 39 minutos do primeiro tempo.

JUIZ: Eber Aquino (Paraguai).

CARTÕES AMARELOS: Nino e Piquerez.

RENDA E PÚBLICO: Não divulgados.

LOCAL: Estádio Alfonso López, em Bucaramanga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.