Brasil supera os EUA e está praticamente na semifinal

Com gols de Felipe Melo, Robinho e Maicon, seleção de Dunga ganha por 3 a 0 na Copa das Confederações

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

18 de junho de 2009 | 12h48

Vadim Ghirda/AP

Robinho tira a bola do goleiro Howard para fazer o segundo gol do Brasil contra os Estados Unidos

SÃO PAULO - Sem muito trabalho, o Brasil conseguiu nesta quinta-feira a segunda vitória na Copa das Confederações. No Estádio Loftus Versfeld, em Pretória (África do Sul), a equipe bateu os Estados Unidos por 3 a 0, em partida válida pelo Grupo B do torneio.

Veja também:

linkDunga elogia atuação de reservas contra Estados Unidos

linkSeleção brasileira destaca força do grupo após vitória

linkKaká elogia partida da seleção e dá parabéns a Ramires

linkDestaques, Maicon e Ramires aguardam novas chances

mais imagens Confira mais imagens da partida

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O triunfo deixa o time de Dunga praticamente classificado para a semifinal. Com 6 pontos, a seleção brasileira lidera a chave e deve disputar o primeiro lugar contra a Itália no próximo domingo, às 15h30 (de Brasília). No mesmo dia, os EUA, quase fora, enfrentam o Egito.

Nesta quinta, o Brasil entrou em campo com uma equipe diferente. Maicon, Miranda, André Santos e Ramires substituíram Daniel Alves, Juan, Kléber e Elano, respectivamente. No segundo tempo, Júlio Baptista, Nilmar e Luisão ainda puderam atuar por mais de 20 minutos. Kaká, Luís Fabiano e Lúcio foram sacados por Dunga.

E mesmo sem todos os considerados titulares desde o início a seleção brasileira passou com facilidade pelo adversário. Desde o primeiro minuto, o time se impôs e construiu com tranquilidade o triunfo.

O primeiro gol saiu logo aos 6 minutos de jogo, quando Maicon cruzou para a área em cobrança de falta e Felipe Melo apareceu como elemento surpresa para, de cabeça, inaugurar o marcador na África do Sul.

Os Estados Unidos tentavam partida para o ataque e deixavam muitos espaços na defesa, o que facilitou o trabalho brasileiro. Dessa maneira, o segundo gol veio aos 19 minutos, em arrancada rápida da Ramires, que invadiu a área e tocou para Robinho tirar a bola do goleiro Howard e fazer novamente a alegria do torcedor do Brasil.

Os comandados de Dunga só não abriram uma vantagem ainda maior na etapa inicial porque resolveram cadenciar mais a partida. Na defesa, ao contrário do que aconteceu na estreia diante do Egito, a equipe estava bem postada e não dava nenhuma chance aos atacantes dos EUA.

No segundo tempo, o Brasil jogou apenas para selar o resultado positivo. O gol de Maicon aos 16 minutos, que saiu depois de uma tabela bem feita com Kaká e Ramires, serviu somente para ratificar a superioridade brasileira em campo.

SUPERIORIDADE HISTÓRICA

Agora, das 12 partidas disputadas entre as duas seleções na história, o Brasil conquistou dez vitórias e sofreu apenas uma derrota. São 23 gols a favor e apenas sete contra.

Na Copa das Confederações, a seleção sul-americana segue com 100% de aproveitamento contra o adversário, com três vitórias: 1999, 2003 e 2009.

'NOVATOS'

Entre os jogadores que atuaram poucas vezes com a camisa amarela, o melhor em campo nesta quinta-feira foi Ramires, que mostrou ao técnico Dunga qu

 Brasil3
Júlio César; Maicon, Lúcio (Luisão), Miranda e André Santos; Felipe Melo, Gilberto Silva, Ramires e Kaká (Julio Baptista); Robinho e Luis Fabiano (Nilmar)
Técnico: Dunga
 Estados Unidos0
Howard; Bornstein, Onyewu    , Beasley (Casey) e Dempsey; Donovan, Bradley, Demerit e Kljestan    ; Altidore e (Feilhaber) Spector
Técnico: Bob Bradley
Gols: Felipe Melo, aos 6, Robinho, aos 19 minutos do primeiro tempo, e Maicon, aos 16 minutos do segundo tempo

Árbitro: Massimo Bussaca (SUI)

Estádio: Loftus Versfeld, em Pretória (África do Sul)

e pode tranquilamente atuar tanto na posição de volante como ser meia do time.

Com arrancadas em velocidade, ele formou uma boa dupla com Kaká e deu trabalho aos defensores norte-americanos. Participou das jogadas do segundo e terceiro gol e ainda 'cavou' a expulsão de Kljestan, que acertou o jogador do Cruzeiro com um carrinho aos 12 minutos do segundo tempo.

O lateral-esquerdo André Santos e o zagueiro Miranda não comprometeram, mas também não brilharam e devem voltar ao banco de reservas na próxima partida.

DÚVIDA NA LATERAL

A bela atuação de Maicon pela direita certamente coloca uma dúvida na cabeça de Dunga, já que ele disputa a posição com Daniel Alves, que se destacou nos últimos confrontos.

Nesta quinta, o atleta da Inter de Milão (ITA) mostrou uma chegada rápida na linha de fundo e cruzamentos feitos com perfeição para a grande área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.