Bruno Domingos/Divulgação
Bruno Domingos/Divulgação

Brasil tem a Colômbia pela frente outra vez, agora na Copa América

Rivais na Copa, quando Zuñiga acertou uma joelhada em Neymar, seleções caem na mesma chave, que tem ainda Peru e Venezuela

O Estado de S. Paulo

24 de novembro de 2014 | 22h25

O Brasil vai reencontrar a Colômbia na Copa América de 2015, no Chile. Sorteio dos grupos do torneio realizado nesta segunda-feira à noite em Viña de Mar colocou a seleção do craque James Rodríguez na chave da seleção brasileira. Os outros adversários do time de Dunga na primeira fase são Peru e Venezuela.

Brasil e Colômbia se enfrentaram nas quartas de final da Copa do Mundo, em Fortaleza. A seleção venceu por 2 a 1, gols de Thiago Silva e David Luiz – James Rodríguez, de pênalti, marcou para os colombianos. A partida ficou marcada pela forte entrada de Zúñiga em Neymar, que acabou tirando o brasileiro do Mundial. O atacante fraturou a terceira vértebra lombar após levar uma joelhada nas costas do colombiano.

Depois da Copa, as duas seleções voltaram a se enfrentar em Miami e o Brasil venceu por 1 a 0 com golaço de falta de Neymar.

A estreia da seleção na Copa América será no dia 14 de junho, contra o Peru, em Temuco, cidade a 671 quilômetros de Santiago. Três dias depois, o Brasil enfrenta a Colômbia no estádio Monumental de Santiago, mesmo local da partida contra a Venezuela, no dia 21. Avançam para as quartas de final os dois primeiros colocados de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados.

O Brasil pegou um grupo relativamente fácil e é favorito para se classificar em primeiro. No Grupo A, estão três equipes que participaram da última Copa do Mundo (Chile, México e Equador), além da Bolívia. No Grupo B estão dois campeões do mundo (Argentina e Uruguai), Paraguai e Jamaica.

O Comitê Executivo da Conmebol decidiu que os treinadores devem apresentar a lista dos 23 jogadores escolhidos no dia 1.º de junho, dez dias antes da abertura do torneio. Também foi definido que os cartões amarelos recebidos na fase de grupos serão automaticamente excluídos nas quartas. Se um jogador receber dois amarelos na fase de grupos, no entanto, terá de cumprir a suspensão automática de um jogo nas quartas.

Para preservar os jogadores fisicamente, a Conmebol acabou com a prorrogação nas quartas e nas semifinais. Em caso de empate, a vaga será decidida nos pênaltis. Na final, a prorrogação está mantida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.