Andre Coelho/EFE
Andre Coelho/EFE

Brasil ultrapassa a França e assume 2º lugar no ranking da Fifa; Bélgica lidera

Vice da Copa América faz seleção brasileira subir; campeão da Eurocopa, Itália agora está em quinto

Redação, Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2021 | 09h40

A seleção brasileira teve uma boa notícia nesta quinta-feira. A Fifa divulgou o ranking atualizado, depois da realização de competições continentais como a Copa América e a Eurocopa, e o Brasil subiu uma posição, ultrapassando a França e ocupando agora o segundo lugar, atrás apenas da Bélgica.

Agora com 1.798 pontos, a seleção comandada pelo técnico Tite, que ficou com o vice na Copa América - perdeu a final para a Argentina, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro -, deixou a França para trás, que ficou com 1.762 após ser eliminada nas oitavas de final da Eurocopa. A Bélgica, que caiu nas quartas, tem 1.822.

A sequência do ranking tem os dois finalistas da Eurocopa. O quarto lugar está com a Inglaterra, vice-campeão continental, com 1.753 pontos, que é seguida pela Itália, agora a quinta colocada, com 1.745, após vencer conquistar seu primeiro título desde a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

A Argentina, campeã da Copa América, ocupa o sexto lugar. Os outros quatro integrantes do Top 10 são Espanha, Portugal, México e Estados Unidos. As seleções da Dinamarca, semifinalista da Eurocopa, e do Uruguai, eliminado nas quartas de final da competição sul-americana, saíram dos grupo dos 10 primeiros colocados.

A Fifa levou em consideração 348 jogos internacionais nessa última atualização. A próxima será divulgada no dia 16 de setembro.

Confira o ranking da Fifa:

  • 1.º - Bélgica - 1.822 pontos
  • 2.º - Brasil - 1.798
  • 3.º - França - 1.762
  • 4.º - Inglaterra - 1.753
  • 5.º - Itália - 1.745
  • 6.º - Argentina - 1.714
  • 7.º - Espanha - 1.680
  • 8.º - Portugal - 1.662
  • 9.º - México - 1.658
  • 10.º - Estados Unidos - 1.648

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.