Brasil vence Peru por 2 a 0

A seleção brasileira obteve a primeira vitória sob o comando do técnico Luís Felipe Scolari, ao superar o Peru por 2 a 0, neste domingo pela Copa América. Com um futebol mais solto, principalmente no segundo tempo, o Brasil apagou a má impressão deixada na derrota na estréia para o México, quando foi vaiada pela torcida colombiana. Desta vez, no entanto, os jogadores brasileiros deixaram o campo aplaudidos pelo público que compareceu ao estádio Pascual Guerrero, em Cali.O resultado quebrou uma série de quatro derrotas seguidas da seleção brasileira. Agora, o time de Scolari decidirá a classificação para as quartas-de-final da competição contra o Paraguai, na quarta-feira.A tática de Scolari surtiu efeito no início do primeiro tempo. Mesmo com Roque Júnior como líbero e apenas com Alex na criação das jogadas de meio-campo, o Brasil não deixou de atacar o adversário. Ainda com anisiedade e alguns erros de passes, o time começou pressionando a seleção peruana. Os atacantes Éwerthon e Guilherme marcavam o líbero Pajuelo, e o Peru tinha dificuldades em sair jogando.O lateral-direito Belletti, por sua vez, avançava com eficiência pelo setor. Já nos cinco primeiros minutos, ele fez dois cruzamentos perigosos. A tentativa peruana de compactar o meio-campo, com cinco jogadores também prejudicava seus contra-ataques e facilitava a defesa brasileira.Aos 9 minutos, o Brasil fez o primeiro gol, após boa triangulação do ataque. Éwerthon lançou para Guilherme, que aparou com o peito para Alex, que vinha de trás. O meia devolveu com precisão e o atacante chutou cruzado, no canto esquerdo de Ibañez.O Brasil manteve o ritmo ofensivo por alguns minutos. Éwerthon movimentava-se por todos os lados e Guilherme prendia um jogador em sua marcação. No meio-campo, Eduardo Costa desarmava as poucas tentativas dos peruanos, que demostravam pouca criatividade. A única chance da equipe andina foi com um chute fraco de Muchotigo, aos 30 minutos.O Peru mudou sua colocação no segundo tempo. Avançou mais pela lateral-esquerda, com Hidalgo, que fez cruzamentos perigosos e assustou o goleiro Marcos. O Brasil explorava timidamente os contra-ataques. Com isso, Scolari fez três substituições nos vinte primeiros minutos. Pôs Juninho Pernambucano, Juninho Paulista e Denílson nos lugares de Emerson, Alex e Guilherme. O time cresceu, beneficiado pela expulsão de Salazar, aos 21 minutos.Juninho Paulista e Denílson se soltaram e não se esquivaram das jogadas individuais. Foi a fagulha que faltava para o Brasil embalar. Aos 32, Juninho Paulista chutou e a bola bateu na trave após desviar na zaga. Nesta altura, o Brasil tomava conta do jogo e criou sucessivas oportunidades. Aos 40, Denílson livrou-se de José Soto e, da entrada da área, chutou com categoria, no ângulo: 2 a 0 Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.