Brasil viaja hoje para amistoso na Hungria

A seleção brasileira inicia amanhã a preparação para o jogo de quarta-feira contra a Hungria, em amistoso que será disputado em Budapeste. O jogo servirá como teste para a equipe visando ao confronto contra a Argentina, no dia 2 de junho - partida que poderá alçar o Brasil à liderança das eliminatórias do Mundial de 2006. Na apresentação da equipe em Budapeste, a grande ausência vai ser o atacante Ronaldo, do Real Madrid, que não foi convocado por recomendação do médico da seleção, José Luiz Runco. Desta forma, o técnico Carlos Alberto Parreira não poderá reeditar o chamado "trio de ouro", formado pelo atacante do Real Madrid, Kaká e Ronaldinho Gaúcho. A expressão "trio de ouro" foi contestada por Ronaldo. "Vocês (a imprensa) criam um trio de ouro e, 90 minutos depois, passam a chamá-lo de trio de lata". Seu substituto será Luís Fabiano, do São Paulo, que terá a segunda oportunidade de começar jogando pela seleção - a primeira foi na vitória por 3 a 0 sobre a Nigéria, em junho do ano passado, quando marcou um gol. Parreira já adiantou também que vai testar Edmílson na função de volante. A opção do treinador é justificada pela ausência de Gilberto Silva, que não foi convocado por uma razão simples: ele está suspenso para o jogo com a Argentina, em junho, pelas eliminatórias e, por isso, Parreira quer testar o ex-zagueiro de Luiz Felipe Scolari como volante. O técnico deixou escapar, em entrevista recente, que Juninho Pernambucano, do Lyon, deve ser o companheiro de Edmilson no meio-de-campo. O Brasil vai tentar quebrar um tabu em Budapeste. Em quatro partidas realizadas até agora entre Brasil e Hungria, a seleção pentacampeã do mundo nunca venceu: ao todo, foram três derrotas e um empate. E os problemas do últimos jogos vão se repetir. Mais uma vez, a seleção só realizará um treino antes do confronto - será na tarde de amanhã, no Estádio Ferenc Puskás, local do amistoso. Zagallo - O amistoso contra a Hungria marcará uma homenagem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a Zagallo. O cordenador-técnico atingiu a marca de 250 jogos a serviço da seleção brasileira, também como jogador e técnico, no final do ano passado no empate, por 3 a 3, contra o Uruguai, pelas Eliminatórias. Agora, completará 253 partidas pela seleção. Durante o aquecimento dos atletas no Ferenc Puskás, todos vestirão uma camiseta especialmente preparada para a data festiva. "Eu me sinto honrado de integrar a seleção. E posso afirmar que tenho fôlego suficiente para continuar servindo à equipe por muito tempo ainda", disse Zagallo. O técnico Carlos Alberto Parreira, o coordenador-técnico Zagallo e o meia Felipe embarcam às 18h30 deste domingo no Rio, juntando-se ao restante da delegação no aeroporto de Cumbica, em São Paulo. A viagem para a Budapeste será às 20 horas. Brasil e Hungria jogam quarta-feira, em Budapeste, às 15h30 (horário de Brasília, com transmissão da Rede Globo.)

Agencia Estado,

25 de abril de 2004 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.