Brasil vira e está classificado

Num jogo dramático, em que perdia até os 15 minutos do segundo tempo, a seleção brasileira se superou; derrotou o Paraguai por 3 a 1, de virada, e garantiu sua classificação para as quartas-de-final da Copa América. Vestido de camisa amarela, o time do técnico Luiz Felipe Scolari se classificou em primeiro no Grupo B e agora vai enfrentar o segundo colocado do Grupo C - que pode ser Uruguai, Honduras ou Costa Rica. O grupo B terminou com o Brasil em primeiro lugar com seis pontos; México chegou em segundo, com 4 e Peru em terceiro, também com 4, mas com saldo menor de gols. O Paraguai foi eliminado.A partida - que começou dramática e terminou com a torcida colombiana gritando olé para as jogadas do Brasil - consagrou um nome: Denílson. Ele entrou no finalzinho do primeiro tempo por causa de uma contusão do titular Ewerthon e foi o grande responsável pelo resultado. Marcou um gol e deu o passe para os outros dois, marcados por Alex e Belletti. Alvarenga, de pênalti, marcou o único gol paraguaio. O Brasil começou o jogo afobado. Foi para cima do Paraguai, tentando sufocar o adversário. A pressão, porém era feita de maneira desordenada. O Paraguai, aos poucos foi quebrando o ritmo e passou a ampliar sua presença no ataque. Aos 9 minutos, o time foi à frente e conseguiu um pênalti, feito por Emerson. Alvarenga cobra e faz 1 a 0.A equipe brasileira sentiu o gol. Os erros de passe aumentaram e os problemas foram crescendo. Até que, a partir dos 25 minutos, o time foi todo à frente em busca do empate. O time passou a jogar francamente no ataque e criou várias jogadas de perigo contra o gol paraguaio. Na principal delas, Ewerthon acerta a trave num chute da entrada da área. No finalzinho da primeira etapa, Ewerthon se machuca e dá lugar a Denilson. No segundo tempo, a seleção manteve a pressão. O técnico Luiz Felipe Scolari colocou Juninho Pernambucano no lugar de Eduardo Costa, que fez um primeiro tempo irregular. A partir daí, a seleção concentrou seus ataques pelo lado esquerdo, com Junior, Alex e Denílson e criou seguidas oportunidades. Aos 11 minutos, Juninho acerta a trave de novo, num chute de fora da área, mas 2 minutos depois, Roque Junior é expulso. Quando a situação beirava o drama, surge o gol. Denílson vai à linha de fundo e cruza rasteiro, para trás. Alex acerta o ângulo de Tavarelli e faz 1 a 1. Obtido o empate, Felipão fechou o time. Com um a menos, tirou Alex a colocou Fábio Rochemback. Logo depois, Felipão é expulso e o auxiliar-técnico Flávio Murtosa, ficou com a responsabilidade de dirigir a equipe.Precisando da vitória, o Paraguai é quem começou a atacar. Mas como não conseguia, o time foi ficando nervoso, até que aos 35 minutos, Gonzalez foi expulso por jogada violenta. Com 10 para cada lado, o jogo ficou equilibrado. No finalzinho, Murtosa também foi expulso e o preparador-físico Paulo Paixão ?virou o treinador?. Quando esperava o final do jogo, o Brasil virou. Aos 43 minutos, Denílson, pelo lado direito, vai à linha de fundo e cruza rasteiro. Belletti, de carrinho, marca: 2 a 1. Aos 47, Denilson faz o seu. Num cruzamento para a área, a bola desvia na zaga e engana Tavarelli: 3 a 1 e a festa brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.