Brasil vive a expectativa de mudanças no time titular

O técnico Carlos Alberto Parreira ainda não anunciou o time titular do Brasil para o jogo contra Gana, na terça-feira, em Dortmund, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo. Mas existe a expectativa de mudança, depois do bom futebol apresentado na vitória sobre o Japão, na última quinta, quando cinco reservas começaram jogando e foram bem. A opção pelos reservas contra o Japão foi apenas para poupar os titulares, já que o Brasil entrou em campo classificado. Mas a boa exibição na goleada por 4 a 1 abriu espaço na seleção para Cicinho, Gilberto, Gilberto Silva, Juninho Pernambucano e Robinho. Mesmo assim, alguns deles sabem que não têm chance de continuar no time titular. É o caso dos laterais Cicinho e Gilberto, conscientes que a posição será ocupada novamente por Cafu e Roberto Carlos, respectivamente. Afinal, Parreira não abre mão dos dois jogadores mais experientes do seu grupo, ambos líderes da seleção dentro e fora de campo. Para Gilberto Silva, a disputa é mais acirrada com Emerson, que foi titular nos dois primeiros jogos da Copa. A tendência é que Parreira volte a escalar Emerson, mas Gilberto Silva tem chances de ganhar a posição. Enquanto isso, Juninho Pernambucano retorna para o banco, dando espaço para Zé Roberto, titular do meio-de-campo e sempre elogiado pelo treinador da seleção. Assim, Robinho é o que está em melhor situação entre todos os reservas. Ele jogou as três partidas do Brasil na Copa. Nas duas primeiras, entrou no lugar de Ronaldo no segundo tempo. E contra o Japão, foi titular. Sempre jogando bem. Como Ronaldo desencantou na última partida, Robinho tem boa chance de ganhar a vaga de Adriano no ataque. Resta saber se Parreira vai continuar apostando no time que venceu os dois primeiros jogos da Copa e que estava escalado desde o começo do ano. Ou se vai fazer mudanças, depois da boa exibição contra o Japão. Programação O mistério sobre o time titular começa a ser desvendado neste sábado, quando a seleção brasileira faz o primeiro treino desde a vitória sobre o Japão - o dia foi de folga na sexta-feira. O trabalho acontece às 16h45 (11h45 pelo horário de Brasília), em Bergisch Gladbach, cidade que fica na região de Colônia e onde o Brasil está concentrado. Depois disso, a seleção volta a treinar domingo e segunda-feira, sempre à tarde, pelo horário alemão. Já a partida contra Gana, na terça, em Dortmund, está marcada para acontecer às 12 horas (de Brasília), valendo vaga nas quartas-de-final da Copa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.