Petra Mafalda/Mafalda Press
Petra Mafalda/Mafalda Press

Uma leitura da tabela do Campeonato Brasileiro em 10 atos

A vantagem do Corinthians, a 'tranquilidade' do Palmeiras no G-4, o sonho do Vasco, o fracasso dos times de Santa Catarina...

O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2015 | 09h26

Não foi desta vez que o Atlético-MG consegui reduzir sua distância em número de pontos para o Corinthians. Após 27 rodadas do Campeonato Brasileiro, o líder do torneio sustenta cinco pontos a mais para o segundo colocado, ficando ao menos com uma rodada de tranquilidade. Com a derrota do Grêmio para o Palmeiras, o time gaúcho perdeu terreno na corrida pelo título, embora ainda tenha chance de se recuperar. Faltam 11 jornadas para o fim da temporada. O Estado aponta 10 detalhes importantes da classificação para as próximas partidas. Há muita coisa em jogo.

LIDERANÇA

O Corinthians tem feito bem sua lição de casa. Torna-se imbatível no Itaquerão, e assim deve continuar se não perder fôlego. Há um fator positivo interessante para o técnico Tite nesta semana: o elenco terá dias limpos para treinar. Como está eliminado da Copa do Brasil, usará a semana para se preparar para o jogo fora de casa diante do Figueirense, domingo, e também para o restante da competição.

NA BRIGA

A goleada do Atlético-MG de 4 a 1 sobre o Flamengo é daquelas que podem reforçar a confiança do elenco. O time de Levir entrou naquela oscilação normal dos times no Brasileiro e agora tenta sair dela. De quebra, apagou o fogo de um Flamengo que vinha animado e dando passos largos para o G-4. Vale lembrar que o Atlético tem confronto direto com o Corinthians ainda nesse returno. Portanto, teria de se preocupar em tirar apenas dois pontos da diferença na tabela, de 57 para 52, pensando que fará de tudo para ganhar do líder.

TOALHA JOGADA

Osorio parece ter deixado claro que o Brasileiro não é mais prioridade do São Paulo na temporada. Depois de jogar a toalha em relação à briga pelo título, o treinador deu a entender que também não vai desgatar seu elenco pensando no G-4 enquanto tiver vivo na Copa do Brasil. O Tricolor poupou jogadores na Ressacada, como Pato, Ganso e Ceni e perdeu por 2 a 1. No meio da semana, já havia deixado dois pontos lhe escapar com empate em casa com a Chapecoense. O foco agora é nas partidas contra o Vasco, teoricamente um time mais fraco nessas quartas de final da Copa do Brasil.

VANTAGEM

O Palmeiras  volta a sonhar. Com um ataque demolidor, o melhor do Brasileiro, com 48 gols, o time abriu vantagem para os rivais abaixo na tabela, como São Paulo, Flamengo, Inter e Santos. Tem 44 pontos, contra 42 do Tricolor do Morumbi. Não dá para respirar aliviado, mas já é uma sobra que o time não tinha. Não seria demais supor que o Palmeiras tem dois objetivos nessa reta final de temporada: se dar bem na Copa do Brasil, contra o Inter nesta fase, e ficar entre os quatro primeiros do Nacional. Dessa forma, com o caneco ou a posição no G-4, estaria na Libertadores do ano que vem.

PROFESSOR

Faltando 11 rodadas para o fim do ano, ainda tem time contratando treinador. O Sport anunciou neste domingo o acerto com Paulo Roberto Falcão para substituir Eduardo Baptista, que foi seduzido pelo Fluminense após a demissão de Enderson Moreira. O futebol no Brasil tem pouco mais de dois meses de atividade antes do recesso de fim de ano e das férias dos jogadores. As chances de esses times se acertarem com novo comandante é menor.

LUZ NO FIM DO TÚNEL

O Vasco acredita. Nesta 27ª rodada, o time  de São Januário deixou a lanterna do Nacional depois de segurá-la durante as últimas nove jornadas, sem perspectiva e só tomando pau dos rivais. Não é motivo para comemorar nada, mas o crescimento dá confiança e faz sonhar. O time tem 23 pontos, o mesmo do Joinville, que ocupa a lanterna agora, mas com uma vitória a mais. O Vasco muda o foco e agora pensa na Copa do Brasil, em duas partidas com o São Paulo. Na próxima rodada, o time de Jorginho faz clássico com o Flamengo, no Maracarã.

BICAMPEÃO AINDA AMEAÇADO

Nem mesmo a vitória do Cruzeiro por 2 a 0 sobre a Chapecoense fora de Minas dá tranquilidade ao técnico Mano Menezes. O time tem 33 pontos. O primeiro na Z-4 é a própria Chapecoense, com 31. A diferença é muito pequena e pode ser tirada na próxima jornada. O objetico do Cruzeiro é se salvar. Não há outro.

ESFRIOU

A arrancada de Santos e Flamengo no returno do Brasileiro sofreu uma freada. As torcidas das duas equipes receberam um baldo de água fria na última rodada e aquele sentimento de que podia chegar, esfriou. O Flamengo tomou uma piaba do Atlético-MG no Independência: 4 a 1. O Santos apanhou do Corinthians num jogo polêmico e de duas expulsões. Ambos ficaram para trás na tabela.

FORÇA DO SUL?

No começo da temporada, muito se falou da força do futebol do Sul do País. Além dos tradicionais Grêmio e Inter, havia outros clubes de Santa Catarina que podiam surpreender. Depois de 27 rodadas, todos eles estão na parte de baixo da tabela. É o caso do lanterna Joinville, por exemplo. Há outros que correm riscos: Figueirense, Chapecoense e Avaí.

ARTILHARIA PAULISTA

Dos cinco artilheiros do Brasileirão, quatro jogam em times de São Paulo. O principal deles é Ricardo Oliveira, do Santos, com 17 gols. Jadson, do Corinthians, entra nessa briga, com 11. É o segundo da competição. O intruso é Lucas Pratto, do Atlético-MG, com 10. Pato, do São Paulo, tem 9, e Love, do Corinthians, marcou oito vezes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.