Brasileirão chega à última rodada sob suspeita de manipulação

São Paulo e Grêmio disputam título, mas também há brigas acirradas pela Libertadores e contra o rebaixamento

Amanda Romanelli - O Estado de S.Paulo,

07 de dezembro de 2008 | 09h13

Disputa pelo título, briga por duas vagas na Taça Libertadores e quatro times lutando contra o rebaixamento. O Campeonato Brasileiro chega à 38.ª rodada, a última após sete meses de jogos, tão competitivo como começou. Desde o início da era dos pontos corridos, em 2003, nunca um Nacional chegou ao fim com tantas surpresas a serem reveladas. Ainda mais após dois anos em que o São Paulo garantiu o título com rodadas de antecedência e em meio ao escândalo da tentativa de manipulação da arbitragem do jogo entre são-paulinos e goianos, que acontece neste domingo. A Eldorado/ESPN e o estadao.com.br transmitem este jogo ao vivo, às 17 horas, assim como as demais partidas da rodada decisiva.Veja também:Brasileirão: Veja o que cada time precisa na última rodadaUm ponto separa o São Paulo da glória no BrasileirãoGrêmio se agarra à mística pelo título do BrasileirãoDenúncia faz CBF trocar árbitro de Goiás x São PauloSão Paulo e Grêmio cobram explicações da CBF sobre árbitroTardelli diz ter sido o maior prejudicado com denúnciaInquérito no STJD pode investigar denúncia de manipulação Vote: Quem será campeão: São Paulo ou Grêmio? Simule os resultados da rodada final da Série A Brasileirão Série A - Classificação Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoA rodada final do campeonato acontece em meio à tentativa de suborno de Wagner Tardelli, que apitaria o jogo Goiás x São Paulo. Como medida preventiva, a CBF decidiu afastar o árbitro da decisão e, após um novo sorteio, definiu que Jaílson Freitas irá comandar a partida no Gama.O time do Morumbi, pela terceira vez consecutiva, luta pela taça. Assim como em 2004 e 2005, somente na última rodada será conhecido o campeão brasileiro. Só o Grêmio pode estragar a festa são-paulina. A missão, porém, é mais fácil para os paulistas. Um empate diante do Goiás, no Bezerrão, é suficiente para a conquista do inédito hexacampeonato nacional - o time do Morumbi venceu em 1977, 1986, 1991, 2006 e 2007. Para o Grêmio, campeão em 1981 e 1996, a única alternativa para ficar com a taça é bater o Atlético-MG, no Olímpico, e torcer por uma derrota paulista no Gama.Mas combinações de resultados e situações improváveis não são novidade para um campeonato que teve seis líderes - todos os times que hoje ocupam as cinco primeiras posições tiveram a chance de sentir o gosto do primeiro lugar.O Grêmio, campeão do primeiro turno, ocupou o topo da tabela em 17 rodadas. O Flamengo foi líder em 10, assim como Palmeiras e Cruzeiro estiveram no lugar mais alto em duas rodadas. Até o Náutico, que ainda briga contra o rebaixamento, teve seu dia de astro: 18 de maio, na 2.ª rodada, quando venceu o Fluminense, no Maracanã, por 2 a 0. Mas foi a surpreendente ascensão do São Paulo que roubou a cena no Brasileiro na reta final. Invicto desde 20 de agosto, somou 11 vitórias em 17 jogos - aproveitamento superior a 76%. Mesmo com tais resultados, só entrou definitivamente para o G4 na 29ª rodada, tornando-se líder na 33ª.O último fim de semana do Nacional ainda reserva surpresa para três times que lutam pelas duas vagas restantes na Libertadores. Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo disputam lugar na América - aquele que não se classificar enfrentará crise.A disputa também é grande na parte de baixo da tabela. Em nenhum outro Brasileiro tantos times grandes lutaram para fugir da Série B. Fluminense e Santos livraram-se a poucas rodadas do fim. Mas o tetracampeão Vasco e o Atlético-PR, vencedor em 2001, ainda precisam desta rodada para saber o que lhes reserva o futuro. Junto de Náutico e Figueirense, brigam para não seguir o mesmo caminho de Portuguesa e Ipatinga, que já têm a Segunda Divisão como destino em 2009.(Atualizado às 10:01 para acréscimo de informações)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.