Brasileiro: acordo pode sair amanhã

O impasse na organização do Campeonato Brasileiro de 2002 pode terminar amanhã, quando representantes das Federações Estaduais de Futebol, o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, e os presidentes dos grandes clubes do Rio, se encontrarem à tarde, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Centro. A Comissão de Reestruturação do Futebol Brasileiro (CRFB) esteve reunida hoje com o presidente em exercício da entidade Sebastião Bastos e, ao final, ficou decidido que "um acordo será o melhor caminho para o assunto". O presidente da Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), Eduardo Viana, afirmou que o calendário quadrienal não será cumprido, mas alguns pontos serão respeitados. O dirigente reiterou que a CBF, e não a Liga Nacional (nova entidade a ser criada para representar os clubes brasileiros), será a "única" responsável pela organização do Brasileiro. A afirmação de Viana, no entanto, foi contestada pelo presidente da Federação Estadual Cearense, Fares Lopes, que confirmou o interesse em uma coligação com a Liga. "Nós precisamos deles. Afinal, apesar de o pessoal nos chamar de ladrão, não mexemos com dinheiro, o que eles sabem fazer bem." O vice-presidente da Ferj e representante do Brasil na Confederação Sul Americana, Hildo Nejar, esteve no encontro e afirmou que a Copa Pan Americana será realizada este ano com ou sem a participação de equipes brasileiras. Outros participantes foram: o secretário-geral da CBF, Marco Antônio Teixeira, além dos presidentes das Federações Estaduais do Paraná, Onaireves Moura, de Santa Catarina, Delfim Peixoto, do Espírito Santo, Marco Vicente, e de Goiás, Wilson da Silveira, além de um representante da TV Globo, Júlio Marins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.