Brasileiro: agora com pontos corridos

Dentro de uma semana, começa o Campeonato Brasileiro de 2003, em que a novidade é o sistema de disputa. Os 24 participantes do grupo de elite nacional vão jogar entre si, em turno e returno, no sistema de pontos ganhos. Ao final das 46 rodadas, em dezembro, será aclamado campeão o time que tiver obtido pontuação superior aos demais. Uma forma simples, sem mistério, que não é coisa do outro mundo e que há décadas é utilizada pelos europeus ? conservadores na forma, atrevidos nos investimentos, no respeito ao calendário e aos torcedores. A fórmula funciona e as competições de ponta conseguem, na maioria das vezes, sustentar atenção até as rodadas finais. O interesse inicial, obviamente, fica por conta da briga pelo título. Mas como atrações adicionais ? para público e clubes ? há a busca pelos primeiros lugares, que valem vagas para a Copa dos Campeões e para a Copa Uefa. Em alguns casos, colocações intermediárias garantem ainda participação na Copa Intertoto, torneio caça-níquel e que também classifica para a Copa Uefa. Sem contar a luta contra o rebaixamento. Em geral, os três últimos caem ? na Itália são quatro ?, o que faz com que muitos jogos tenham importância, pois se trata da sobrevivência dos times. Não pode haver ilusão de que muitos participantes estarão na briga pela hegemonia local. O mais corriqueiro é que, a partir da metade do segundo turno, três, quatro equipes estejam no páreo. Eventualmente cinco têm esperança. Mais do que isso é praticamente impossível. Há casos, também, em que uma equipe dispara muito antes do previsto ? ou porque tem elenco muito superior aos demais, ou porque os outros não se reforçaram. Ou pelos dois motivos ao mesmo tempo. Na temporada de 2002-03, há dois exemplos de torneios de primeira linha que estão praticamente decididos, embora ainda faltem muitas rodadas para o encerramento. Em Portugal, já disputadas 25 das 34 rodadas previstas, o Porto tem 66 pontos contra 53 do Benfica (sem computar as partidas deste fim de semana). Na Alemanha, a situação é idêntica: também em 25 rodadas, o Bayern de Munique conseguiu 59 pontos, 13 a mais do que o Borussia Dortmund, atual campeão e em segundo lugar, e Stuttgart. Já a França vive situação oposta. Os 20 concorrentes já disputaram 30 das 38 rodadas programadas até maio e cinco torcidas sonham com a festa. Por enquanto, levam vantagem Monaco e Olympique Marselha, ambos com 52 pontos. Em seguida, aparecem Lyon (51), Bordeaux (50) e Nantes (48). Indício de que haverá surpresas até o fim. A briga na Espanha se consolida em torno de três times, após 26 rodadas (são 38 no total). O Real Madrid há três semanas se mantém em primeiro lugar, agora com 54 pontos. Vantagem mínima, porque a Real Sociedad tem 53 e o Deportivo La Coruña está com 51. Ao menor vacilo, mudam-se as posições. O equilíbrio é tão grande que só dez pontos separam os 9º colocados (Barcelona e Athletic Bilbao, com 33) do lanterna Recreativo Huelva (23). Na Espanha, os três últimos vão para a Série B. A Itália tem Juventus (57) e Inter (54) como mais fortes candidatas ao "scudetto". O Milan (49, antes da abertura da 26ª rodada) perdeu fôlego, mas ganha o direito de disputar a fase prévia da próxima Copa dos Campeões, se ficar entre os quatro primeiros. Os quatro piores caem ? Torino e Como, com 16, e Piacenza com 19 estão praticamente condenados. A última vaga para a degola preocupa Empoli e Modena (27), Reggina (26) e Atalanta (25). A Inglaterra assiste ao duelo emocionante de Arsenal (63), Manchester United (61) e Newcastle (58) para conquistar a Premiership. Já foram 30 rodadas e a indefinição é total. E os estádios continuam lotados. Credibilidade é coisa de gente fina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.