Brasileiro é suspenso na Itália

O atacante Eriberto da Conceição Silva, ou melhor, Luciano Siqueira de Oliveira, ficará sete meses fora de atividade. O afastamento é conseqüência da pena que lhe foi imposta pelo tribunal esportivo da Federação Italiana de Futebol por uso de documentação falsa. O brasileiro que joga no Chievo Verona atuou quatro temporadas na Itália com nome e idades trocados.A punição até que foi branda. O vice-procurador da Liga Italiana de Futebol - entidade que representa os interesses dos clubes profissionais na Itália -, Edilberto Ricciardi, havia pedido dois anos de suspensão para Eriberto/Luciano. O clube veronês, no entanto, recorreu à Justiça Esportiva e obteve a redução. Dessa forma, ele poderá atuar na segunda parte da temporada de 2002-03.O tribunal esportivo, no entanto, ainda multou o atleta em US$ 145 mil pelo comportamento incorreto e ordenou que Bologna e Chievo paguem US$ 74.040 por responsabilidade indireta no caso. Os bolonheses entraram na história por terem sido os primeiros a contratar Eriberto/Luciano, em 1998, depois dele despontar como revelação no Palmeiras. Dois anos mais tarde, se transferiu para a equipe de Verona.A sentença não frustrou nem dirigentes nem o ?réu?. Eriberto/Luciano havia dito na manhã desta quarta-feira, depois de depor na Liga, que se sentia aliviado por ter esclarecido a história. Sua preocupação eram os dois anos de afastamento inicialmente previstos."Não prejudiquei ninguém e só fiz isso porque tinha vontade de jogar futebol e essa era a alternativa que tinha na época", declarou o jogador, com a concordância do presidente do Chievo, Lucca Campedelli.A decisão de contar a verdade foi tomada em junho, durante as férias, e contou com o apoio de sua mulher. Eriberto/Luciano alegou problemas de consciência para procurar autoridades e revelar sua identidade original. Além da troca de nome, ele confirmou que não tem 23 anos, mas 27.A confusão contribuiu, em parte, para que ele perdesse também a oportunidade de transferir-se para a Lazio. O clube romano o contratou, o apresentou à torcida, mas teve de renunciar ao negócio por falta de pagamento. Agora, não quer ouvir nem falar em Eriberto/Luciano.Quem está atento à movimentação do jogador é a Justiça Comum. A Promotoria Pública de Bolonha, sua cidade de desembarque na Itália, estuda abrir processo por falsidade ideológica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.