Lee Smith/Reuters
Lee Smith/Reuters

Brasileiro marca e Chelsea elimina Liverpool na Copa da Liga Inglesa

Emerson Palmieri, ex-Santos, empata o jogo e depois Hazard anota o da classificação

O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2018 | 18h56

Com uma inesperada virada, o Chelsea mostrou força nos 15 minutos finais do clássico com o Liverpool nesta quarta-feira e eliminou o rival por 2 a 1, na estreia dos dois times na Copa da Liga Inglesa. Após enfrentar forte pressão do anfitrião no Anfield Road, a equipe londrina marcou seus gols aos 34 e aos 39 minutos da etapa final. Um deles foi anotado por Emerson Palmieri, ex-Santos.

A partida foi amplamente dominada pelo Liverpool desde o apito inicial, mesmo com Roberto Firmino e Salah no banco de reservas. Shaqiri e Mané comandavam as iniciativas ofensivas da equipe da casa. Foi assim que o senegalês quase abriu o placar aos 38 minutos, ao desperdiçar grande chance, de cabeça.

O mesmo Mané havia perdido outra chance um minuto antes. Além disso, o Liverpool reclamou de um suposto pênalti, em toque de mão da defesa do Chelsea dentro da área. Antes do fim do primeiro tempo, Shaqiri tentou de longe e mandou por cima do travessão.

Nas tribunas do estádio, o técnico da seleção inglesa, Gareth Southgate, acompanhava a partida que reunia duas das três melhores equipes ingleses neste início de temporada. O Liverpool lidera o Campeonato Inglês e o Chelsea está em terceiro, com a mesma pontuação do Manchester City, atual vice-líder.

Depois de tanto pressionar, o time da casa chegou ao gol aos 14 minutos, num golaço de Daniel Sturridge, de voleio, quase na pequena área, aproveitando rebote da defesa. O gol levantou o Anfield e deu ainda mais força ao Liverpool no ataque.

Mas, numa rápida investida do Chelsea, o anfitrião cedeu o empate. Aos 34, Emerson Palmieri, que começou como titular, empatou a partida. O gol renovou a confiança do Chelsea, embora o Liverpool seguisse pressionando. Um minuto depois do empate, Sturridge bateu de fora da área e acertou o travessão.

Do outro lado, Hazard saiu do banco de reservas par iniciar linda jogada individual pela direita ao passar no meio de dois marcadores antes de acertar forte chute, cruzado, sem chances para Mignolet - o goleiro brasileiro Alisson ficou no banco por opção do treinador, que tenta revezar os goleiros nas diferentes competições da equipe.

Preocupado, Jurgen Klopp colocou Salah em campo - Mané já havia sido substituído por Firmino. Mas o Liverpool não conseguiu repetir a mesma intensidade nos minutos finais da partida e sofreu sua primeira decepção da temporada até agora. Foi o primeiro tropeço de um time, que até então não havia nem empatado na temporada. Eram seis vitórias consecutivas no Inglês e uma conquistada na fase de grupos da Liga dos Campeões.

ARSENAL AVANÇA SEM SUSTOS  

Jogando em Londres, o Arsenal venceu o Brentford, da segunda divisão, por 3 a 1, também nesta quarta. Danny Welbeck foi o principal jogador da partida, ao marcar duas vezes, a primeira logo aos 5 minutos de jogo. Ele marcou o segundo aos 37. Alan Judge anotou para os visitantes no segundo tempo, mas Lacazette marcou o terceiro do Arsenal e tranquilizou a torcida nos acréscimos.

Já o Tottenham precisou suar mais para assegurar sua vaga na próxima fase da competição nacional. Depois de um empate por 2 a 2 com o Watford, diante de sua torcida, a equipe londrina venceu nos pênaltis por 4 a 2. No tempo normal, o Watford saiu na frente, no início do segundo tempo. Mas três gols embolaram o placar nos minutos finais.

Dele Alli empatou em cobrança de pênalti, aos 36. Erik Lamela virou o placar aos 41. E Etienne Capoue igualou novamente o placar, aos 44 minutos, e forçou a disputa das penalidades. A esta altura, os visitantes já jogavam com um a menos em campo, em razão da expulsão de Christian Kabasele.

Em casa, o West Ham aplicou a maior goleada da rodada. O time londrino aplicou 8 a 0 no Macclesfield Town, da terceira divisão. Robert Snodgrass e Grady Diangana marcaram dois gols cada. E o Nottingham Forest venceu o Stoke City por 3 a 2.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.