Brasileiro quer defender o Japão

Alessandro dos Santos é desconhecido no Brasil. No Japão, esse brasileiro de 27 anos, do Shimizu S-Pulse, que disputa a J-League, atende simplesmente por Alex. Nesta segunda-feira, ele conseguiu a cidadania japonesa. E sonha em jogar a Copa do Mundo que será disputada ano que vem, no Japão e na Coréia do Sul.Desde os 14 anos, Alex joga no futebol japonês. Talvez por isso, todo o processo que envolveu a sua naturalização tenha demorado apenas oito meses, cerca de metade do tempo que geralmente leva para ser concluído.Alex começou no futebol paranaense, no Grêmio Maringá. Mas logo foi para o Japão. Lá, enquanto cursava o colegial, disputou jogos pela Meitoku Gijuku High School. Foi crescendo e chegou à J-League. Estreou pelo Shimizu em 19 de abril de 1997, num jogo contra o Gamba Osaka. Lateral-esquerdo de origem, ele tem se destacado na meia-esquerda. Até o momento, já marcou 41 gols em 141 partidas pelo Shimizu.Por estar há muito tempo no Japão, está completamente adaptado ao país - domina o idioma com facilidade - e ao corrido futebol japonês. Seu estilo de jogo, com muita velocidade e força física, contribuiu para a sua rápida adaptação.Alex se torna, agora, o terceiro jogador brasileiro naturalizado japonês. Os outros dois são Ruy Ramos e Wagner Lopes. Ele poderá ser o segundo brasileiro naturalizado a defender o Japão em uma Copa do Mundo. No Mundial de 98, na França, Wagner Lopes disputou a competição.No entanto, o técnico do Japão, o francês Philippe Troussier, declarou recentemente que não pretende convocar o brasileiro.Alex, que em 1999 foi eleito o Jogador do Ano da liga japonesa, terá de se esforçar muito se quiser um lugar na seleção. A concorrência é muito grande. Jogadores como Shinji Ono, Nanami, Hattori e Shunsuke Nakamura agradam muito a Troussier.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.